Jawaher Abdulla Al Qassimi: "As pessoas podem imaginar o que quiserem"
capa

Jawaher Abdulla Al Qassimi: "As pessoas podem imaginar o que quiserem"

Diretora do 7º Festival Internacional de Cinema para a Infância e Juventude (SIFF), nos Emirados Árabes Unidos, ressalta magia do evento

Por
Adriana Androvandi

Jawaher Abdulla Al Qassimi convidou cineastas brasileiros a participar do evento internacional

publicidade

O encanto do cinema está em cena até a sexta-feira no 7º Festival Internacional de Cinema para a Infância e Juventude (SIFF), que teve início nesse domingo em Sharjah, um dos sete emirados que formam os Emirados Árabes Unidos. O Correio do Povo conseguiu uma entrevista exclusiva com a diretora do evento Jawaher Abdulla Al Qassimi. Durante a conversa, a organizadora enfatizou a evolução da mostra ao longo dos anos.

CP: Neste ano, o tema do festival aborda os filmes inspirados em livros. É uma forma de incentivar a imaginação das crianças?

Jawaher Abdulla Al Qassimi: Nunca tínhamos tido um tema no festival. Este é o único ano em que em que temos um tema, porque Sharjah recebeu o título de capital mundial do livro 2019, um prêmio internacional da Unesco. A cidade foi escolhida, por isso estamos orgulhosos e celebrando esse prêmio. Então, estamos com esta temática. A decoração (no centro de convenções) traz um grande trem, que pode ser do Harry Potter, outra parte pode ser a casa da Mary Poppins, enfim, as pessoas podem imaginar o que quiserem.

CP: Neste ano, houve surpresas em relação ao número de participantes?

Jawaher Abdulla Al Qassimi: Sim. Ano passado tivemos cerca de 500 filmes inscritos. Neste ano tivemos mais de 1450. Acredito que se deve ao fato de que antes, nos primeiros seis anos, éramos um festival infantil. Neste ano nos tornamos também um festival juvenil. Adicionando a juventude, aumentou o número de participantes. Também viajamos para Cannes, Berlim, Veneza e Japão. Estamos fazendo conexões para que as pessoas saibam quem somos e o que fazemos.

CP: São 39 países participantes?

Jawaher Abdulla Al Qassimi: Se inscreveram 89 países. Foram selecionados 132 filmes, de 39 países.

CP: Há um plano de seu país investir em cultura em longo prazo?

Jawaher Abdulla Al Qassimi: Muitos me questionam sobre fazer um grande festival em Sharjah, como em Cannes ou Abu Dhabi. Temos apenas sete anos enquanto festival. Estamos dando os primeiros passos. Não quero atropelar etapas, fazer tudo muito rápido. Quero estudar as coisas, começar quando for o tempo certo. Temos pessoas que estão aqui todos os anos e veem mudanças em cada edição. Aos poucos vamos ficando maiores e nos expandindo. Esta é a maneira como sinto que é certo realizá-lo.

CP: No Brasil temos muitos cineastas que talvez não conheçam ainda o festival. Poderias mandar uma mensagem para eles?

Jawaher Abdulla Al Qassimi: Por favor, se inscrevam no festival! (risos). Este é o motivo de nos tornarmos internacionais e convidar a imprensa estrangeira para vir e ver como são as coisas. Você será nossa voz ao voltar. Se temos agora cinco filmes inscritos do Brasil, quem sabe não teremos 50 da próxima vez. Agora é seu trabalho divulgar.