Energia
capa

Energia

Por
Alina Souza

Parque eólico próximo à bacia do Rio Tramandaí.

publicidade

Eles têm nome técnico, eu sei. Aerogeradores. Parque eólico. Mas, no meu imaginário, chamo-os de ventiladores gigantes. Estas sequências de movimentos cadenciados prendem o meu olhar ao longo da estrada para a praia. Ventilam minha mente pois lembram que estou perto da região onde moram meus pais. Anunciam a mudança de ambiente. Não mais a atmosfera densa da metrópole. Agora o ar livre do litoral. As imensas estruturas parecem dar boas vindas e, durante o retorno para Porto Alegre, tornam-se parte da paisagem da saudade. Eu poderia aqui descrever as vantagens da energia renovável, os investimentos na área etc. O texto se prolongaria e talvez fossem necessárias duas ou mais páginas para tanto. Quero deixar os devaneios acompanharem os ventos, não me ater às máquinas e números. Há cenários que nos enchem de boas energias. Os breves instantes se fixam à memória, despertam sentimentos, possibilidades. Nós construímos os significados. Mais que enormes hélices diante das dunas, do campo e da lagoa, entrevejo, próximo e sereno, o abraço da família. 

Texto e fotos: Alina Souza