Grêmio: agora que Inês é morta...
capa

Grêmio: agora que Inês é morta...

A comissão de arbitragem da CBF autorizou o Grêmio para que escute o áudio da partida com o Athletico-PR

publicidade

A comissão de arbitragem da CBF autorizou o Grêmio para que escute o áudio da cabine do árbitro de vídeo da partida com o Athletico Paranaense. 
Atendeu pedido de Romildo Bolzan.
Mas a Inês é morta.
Obviamente liberou o áudio porque não encontrou nenhum agravante.
Foi o jogo de volta da semifinal da Copa do Brasil.
O Grêmio ganhou por 2 a 0 em Porto Alegre e perdeu pelo mesmo placar lá. 
Foi eliminado nas penalidades. 
Aos 4min de jogo uma bola toca na mão de Wellington dentro da área.
O lance se dá após uma cabeçada de Geromel. 
Alertado pelo VAR, o árbitro Wagner Magalhães olhou no monitor e mandou seguir o confronto. 
O ex-árbitro comentarista Paulo Cesar de Oliveira disse trata-se de um lance de interpretação, mas que ele marcaria o pênalti.
Em Twitter recente, o presidente Romildo Bolzan registrou: 
"A lisura nas decisões dos árbitros de futebol deixará de estar sob suspeição quando os critérios de decisão forem uniformes e aplicados sem subterfúgios. 
Está faltando maturidade, profissionalismo e respeito dos responsáveis no trato desta matéria."