"NÓS", esta a palavra chave
capa

"NÓS", esta a palavra chave

Porque muitos insistem e não cumprir as determinações, em colocar a vida em jogo?

publicidade

Estamos diante da pandemia do coronavírus. A imprensa do mundo inteiro só fala sobre isso. Especialistas de todas as áreas recomendam isolamento, que se trabalhe em casa. Insistem para que só deixem sua residência aqueles que realmente necessitam. Os governos fazem listas dos profissionais que podem sair, pregando que sigam as normas sanitárias. Mesmo assim vemos pessoas desfilando em parques, avenidas e praias como se nada estivesse acontecendo. Como medida extrema, alguns países colocaram os policiais e até o exército na rua. Policiais em viaturas com megafone invadem as ruas mandando que se vá para casa.
Não há como desconhecer o coronavírus. O noticiário está todo ele concentrado na pandemia. Porque muitos insistem e não cumprir as determinações, em colocar a vida em jogo? Há um flagrante desafio a tudo, um escancarado desrespeito ao próximo. É a falta de solidariedade levada ao extremo.
Jared Diamond escreve no livro Colapso: "Outras possíveis razões para a recusa irracional de tentar resolver problemas identificados são mais especulativas. Uma é o bem conhecido fenômeno de tomada de decisão de curto prazo chamado "psicologia da multidão". Os indivíduos que fazem parte de um grupo ou multidão coerente, em particular um que esteja emocionalmente estimulado, pode se sentir motivado a apoiar as decisões do grupo, embora os mesmos indivíduos pudessem rejeitar a decisão caso lhes fosse permitido pensar no caso a sós e com calma. Como escreveu o dramaturgo alemão Schiller: "Como indivíduo, todo mundo é tolerante e razoável _ como membros de uma multidão, todos imediatamente se transformam em cabeças-duras".
Obviamente há diferenças oceânicas entre o mundo antigo e este globalizado. Cumpri ontem meu 11º dia de isolamento. Há momentos de solidão, tristeza e espanto com tudo que está acontecendo. Torço para não ter um ataque de pânico, pois sair para rua para caminhar, algo que, junto com a medicação, me vai acalmando meu desespero, não é mais uma opção. 
Jared Diamond, ainda: "As pessoas que ficam deprimidas com tais pensamentos (pessimistas) frequentemente me perguntam: "Jared, você é otimista ou pessimista quanto ao futuro do mundo?" Respondo: "Sou um otimista cauteloso". Com isso, quero dizer que, por um lado, reconheço a seriedade dos problemas que temos diante de nós. Se não fizermos um esforço decidido para resolvê-los, e se não formos bem-sucedidos neste esforço, o mundo como um todo enfrentará um declínio de padrão de vida, ou talvez coisa pior, nas próximas décadas". 
Jared coloca tudo no plural: nós. O governo sozinho é impotente nesta guerra viral. Melhor colocando: os governos, pois trata-se de uma pandemia. A palavra chave é nós: "Se (nós) não fizermos um esforço decidido para resolvê-los, e se não formos bem-sucedidos neste esforço, o mundo como um todo enfrentará um declínio de padrão de vida, ou talvez coisa pior, nas próximas décadas".