O ano em que o Inter voltou a ser o Inter
capa

O ano em que o Inter voltou a ser o Inter

Lembrando a frase “vim para pagar títulos, não para conquistar”

publicidade

Gilberto Medeiros foi presidente do Internacional em 1986 e 1987.
Assumiu cometendo uma frase história:
“Vim para pagar títulos, não para conquistar”.
Pagando títulos e em completa penúria  levou o time ao surpreendente vice-campeonato do módulo verde da Copa União em 1987, o nacional da temporada, só parando no Fla, bambambã da época, que tinha entre outros Zico, Bebeto e Renato Portaluppi.
Empatou no Beira-Rio em 1 a 1 e perdeu no Maracanã por 1 a 0 diante de 91.034 torcedores.
Passados 32 anos seu filho, Marcelo, coloca o Inter numa outra final nacional, agora da Copa do Brasil, trilhando caminhos ainda mais difíceis.
Na sua gestão o clube saiu de uma inédita Segundona, endividado, e com o futebol tendo que ser completamente remontado. Marcelo poderia ter repetido a frase do pai:
“Vim para pagar títulos, não para conquistar”.
A final que tem nesta quarta-feira o primeiro capítulo guarda o DNA dos Medeiros.
Campeão ou vice a história registrará 2019 como o ano em que o Inter voltou a ser o Inter, a figurar numa decisão.