O Brasil do milhão e o outro Brasil
capa

O Brasil do milhão e o outro Brasil

Ficou evidente que sem futebol não haverá condições de pagar integralmente os salários dos jogadores que recebem mais

publicidade

Aconteceu a reunião dos dirigentes de clubes para estudar medidas de sobrevivência financeira tem tempos de coronavírus.
Ficou evidente que sem futebol não haverá condições de pagar integralmente os salários dos jogadores que recebem mais.
Estamos falando de R$ 300, 400, 500 mil por mês para cima.
Não há bilheteria, alguns patrocinadores estão pulando fora e não se sabe como ficará a verba do pay-per-view.
Mais:não se sabe nem quando os times voltarão a campo. 
Enquanto os clubes estudam uma redução salarial para os jogadores, muitos recebendo meio milhão de reais por mês ou mais, o governo anuncia um benefício de até R$ 200 por três meses para trabalhadores de baixa renda que sejam informais, autônomos e desempregados — ou seja, pessoas que não têm carteira assinada nem recebem algum outro benefício, como Bolsa Família e seguro-desemprego.
É um Brasil dentro de outro Brasil. .
O segundo é o Brasil real.