Torça de casa
patrocinado por

Torça de casa

Carlos Corrêa

publicidade

Carlos Corrêa / Interino

Hoje à noite, o Inter pode ser campeão brasileiro. No domingo, o Grêmio pode começar a encaminhar mais um título da Copa do Brasil. Eu bem que queria abrir a coluna falando apenas de futebol, mas na boa, não dá. Quando a Capital está vivenciando um colapso na saúde e o risco de transmissão da Covid-19 é altíssimo na cidade e em diversas outras regiões do Estado, simplesmente não dá. Atualmente, só não está apavorado com a situação quem não acompanha o noticiário. Nunca, mesmo em nossos piores pesadelos, poderíamos pensar que uma partida de futebol decisiva, que era para ser um dos momentos para serem curtidos pelos torcedores intensamente, se transformasse em uma situação de risco pelo potencial de transmissão da doença. A essas alturas do campeonato, está claro que não é possível contar nem com as autoridades, que falham em tomar medidas mais restritivas, e muito menos com o bom senso da população, que segue aglomerando como se nada estivesse acontecendo e segue achando que agrião e remédio para piolho podem ajudar contra a doença, mas se recusam a colocar uma simples máscara. Sendo assim, tanto para o jogo desta noite, no Beira-Rio, como para o de domingo, na Arena, nos resta fazer um único pedido: torça, torça muito, se quiser torça o dia inteiro. Mas faça isso em casa. Não vá para a rua, não combine aquele churrasco com os amigos. Não hoje. Pode parecer sacrifício – talvez de fato seja –, mas é um sacrifício necessário para a saúde (física e mental) de todos. Fique em casa. Outras finais virão, já a vida é uma só.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895