Fascismo, pluralismo e democracia

Fascismo, pluralismo e democracia

Por

publicidade

O fascismo vê partidarismo onde há crítica.

O pluralismo vê qualidades até na expressão dos defeitos.

A democracia alimenta-se, tomando emprestada uma expressão de Gilberto Freire, de um "equilíbrio de antagonismos". Como diria Edgar Morin, antagonismos complementares.

O fascismo odeia a diferença.

Salvo a que justifica a supremacia do mais forte.

O pluralismo semeia contradições.

A democracia não se vive sem divergências.

O fascismo cultua a imobilidade perfeita da morte.