O escanteio genial e o desespero do neotático
capa

O escanteio genial e o desespero do neotático

Futebol como metáfora da vida

publicidade

O neurocientista Leonardo Mlodinow tem um livro chamado Elástico, como o pensamento flexível pode mudar as nossas vidas,

Animais e computadores pensam a partir de roteiros.

Seres humanos improvisam.

O Barcelona enfrentou o Liverpool hoje.

No primeiro jogo, o Barcelona fez 3 a 0.

Messi arrasou. Alguns, declararam que o argentivo era definitivamente melhor que Pelé.

Vi o segundo tempo da partida desta tarde.

O Liverpool fez 4 a 0 e despachou o Barça.

Messi não existiu.

O quarto gol do Liverpool foi genial. Puro pensamento flexível.

Arnold cavou um escanteio. Ele ficou próximo da bola para cobrar. Mas não lhe cabia fazer isso. no roteiro do futebol, escanteio é cobrado, em geral, pelo craque do time, salvo se o craque foi o centroavante. O aproveitamento dos cobradores oficiais não é fantástico. A média de gols de escanteio na área não chega a ser fantástica. Arnold começou a se afastar quando viu o cobrador oficial se aproximar. Então, olhou para a área e viu a defesa do Barça e um companheiro livre.

Voltou abruptamente e cobrou. Uma heresia. O companheiro recebeu livre e marcou.

Genial. Pensamento elástico ao vivo.

O comentarista neotático do TNT desesperou-se de entusiasmo.

Esganiçou-se mais que de costume.

Garantiu que aquele lance genial só podia ter sido treinado, ensaiado, pensado pelo treinador.

Os neotáticos não acreditam em improvisação.

Para eles, os jogadores só executam o que os treinadores concebem.

Um neotático acha que um jogador é uma abelha com funções roteirizadas.

Cristiano Oliveira, ótimo comentarista da Rádio Guaíba, resumiu: "A qualidade mais importante de um jogador de futebol não é o drible. Nem o chute. Tampouco a marcação. A qualidade mais importante de um jogador de futebol é a inteligência".

Se o treinador disser que treinou aquilo, eu duvidarei.

Se provar que treinou, eu recusarei as provas.

A humanidade precisa daquele lampejo como genialidade instantânea, não prevista, flexível.

Para desespero dos neotáticos.