Porta dos Fundos agradece
capa

Porta dos Fundos agradece

Grupo está rindo de graça

publicidade

Comunicado

O Grupo Porto dos Fundos vem a público agradecer penhoradamente a imensa publicidade internacional que lhe foi proporcionada gratuitamente pelo grupo integralista que atacou a sua sede com coquetéis Molotov, à entidade que pediu a censura ao seu filme de final de ano e ao desembargador do Rio de Janeiro que tentou tirar o especial do ar na Netflix.

Porto dos Fundos reconhece que sem essa ajuda inesperada não teria conseguido a repercussão internacional alcançada. Nenhum plano de marketing sairia tão barato e teria resultados tão efetivos. Atentado sem vítimas é tudo que uma sátira precisa para deslanchar. Nenhuma ferramenta é tão eficiente para atrair o interesse de um público do que a censura. Se a decisão do juiz carioca foi péssima para a imagem do Brasil, trazendo a censura de volta pela porta da frente, foi ótima para o Porto dos Fundos. O mesmo pode dizer o ministro Dias Toffoli, presidente do STF, que começa o ano como guardião da Constituição depois de ter atropelado a Carta Magna em alguns momentos.

Para ser justo, Porto dos Fundos agradece pelos bons contratos que assinará no futuro graças ao status alcançado com a gigantesca publicidade que lhe foi oferecida. Sem falsa modéstia, o Grupo não dirá que teve mais do que o merecido.

Do jeito que vai, alguma nova edição de O Vermelho e o Negro, como no tempo da ditadura, poderá incomodar os censores por sugerir uma aliança entre o comunismo e as ideologias identitárias que provocam desunião entre os brasileiros.

Porto dos Fundos acha tudo isso "imprecionante".

Feliz 2020!