Gol agônico de Tevez deixa Boca como único argentino 1º de grupo na Libertadores
capa

Gol agônico de Tevez deixa Boca como único argentino 1º de grupo na Libertadores

Argentina teve quatro classificados para as oitavas, uma queda em relação a 2018

Tevez fez o gol da vitória do Boca sobre o Athletico-PR

publicidade

O cronômetro marcava 49 minutos do segundo tempo quando Carlos Tevez acertou o chute que deu a vitória ao Boca Juniors sobre o Athletico-PR por 2 a 1 na noite chuvosa de quinta-feira na Bombonera. O resultado garantiu o Xeneize como único argentino classificado para as oitavas de final com o primeiro lugar de seu grupo.

A classificação xeneize estava virtualmente garantida para as oitavas pela grande vantagem no saldo de gols em relação a Tolima e Jorge Wilstermann, mas o time entrou em campo com força máxima em busca da vitória que garantiria o primeiro lugar. Na Argentina, inclusive, foi debatido durante a semana se o Boca realmente tinha interesse em ficar em primeiro na chave, o que abriria a possibilidade de um confronto precoce com o River Plate já nas oitavas de final.

Mas o que se viu dentro de campo foi uma equipe determinada a buscar a vitória diante de um Athetico-PR, que mostrou mais uma vez sua boa organização. O Boca Juniors perdeu por lesão ainda no primeiro tempo o artilheiro Darío Benedetto e viu a situação ficar mais difícil quando Marco Rubén abriu o placar no começo da etapa final após falha do sistema defensivo xeneize.

Com 1 a 0 contra, Gustavo Alfaro mandou Carlos Tevez a campo, uma decisão que mudou o rumo da partida. Com Tevez jogando por trás dos atacantes Zárate e Ábila, o Boca passou a levar superioridade sobre o Athletico-PR no setor ofensivo e logo chegou ao empate com o zagueiro Lisandro López.

Logo após o empate, Wellington deu uma entrada forte em Tevez e foi expulso deixando o Athletico-PR com 10. Com um homem a mais, o jogo virou ataque contra defesa. O Boca insistiu até chegar aos gol agônico de Tevez, que confirmou o primeiro lugar do grupo e serviu para mostrar que Carlitos ainda pode ser decisivo mesmo longe da melhor forma física.

 

Godoy Cruz novamente nas oitavas

Outro argentino a entrar em campo na quinta-feira foi o Godoy Cruz. O time de Mendoza recebeu a Universidad Concepción, do Chile, precisando apenas de um empate para confirmar a classificação como segundo colocado do Grupo C.

Mais que o empate, o Tomba conseguiu a vitória diante dos chilenos. O bom meia Ángel González fez 1 a 0 logo no começo do jogo, placar que foi mantido até o apito final do brasileiro Wilton Pereira Sampaio.

A vitória deu ao Godoy Cruz a sua segunda classificação para as oitavas de final da Libertadores em três temporadas, um feito alcançado pelo mesmo técnico de 2017, o ex-meia Lucas Bernardi.

Quatro argentinos nas oitavas

As classificações matemáticas de Boca e Godoy Cruz confirmaram quatro argentinos nas oitavas de final da Libertadores. Eles se juntaram a San Lorenzo e River Plate. O número representa uma queda em relação aos seis clubes do país que estiveram nessa mesma fase do torneio do ano passado.

A diminuição de número dos argentinos nas oitavas não causa surpresa. Diferente do que ocorreu em 2018, quando o país entrou no torneio com quatro candidatos ao título – Boca, River, Independiente e Racing -, neste ano apenas Boca e River podem receber tal rótulo. Mesmo sendo um dos grandes da Argentina, o San Lorenzo passar por muitas dificuldades em sua equipe e não deve ser colocado como candidato a levantar a taça no final do ano em Santiago.

 

Os classificados para as oitavas da Libertadores: