capa

Narrativas de uma Porto Alegre insólita

Por

publicidade

RelatosInsolitoscapa


Novo livro de Rafael Guimaraens reúne episódios inusitados ocorridos na Capital nos séculos XIX e XX e tem lançamento nesta terça, no Centro Municipal de Cultura



  


20 Relatos Insólitos de Porto Alegre (Libretos Editora), novo livro do jornalista e escritor Rafael Guimaraens, é resultado de uma pesquisa histórica de mais de uma década. O autor, que possui uma extensa obra dedicada à memória da cidade, selecionou vinte histórias que ocorreram na capital gaúcha entre o final do século 19 e início do 20. O livro já está nas livrarias e o lançamento é nesta terça, 21 de março (terça-feira), às 19 horas, pelas atividades da 245ª Semana de Porto Alegre, no Centro Municipal de Cultura, Arte e Lazer Lupicínio Rodrigues (Erico Verissimo 307), com o apoio da Secretaria Municipal de Cultura, através da Coordenação do Livro, Leitura e Literatura. No lançamento, Rafael Guimaraens e Ivette Brandalise conversam no palco do Teatro Renascença sobre o tema "A história de um escritor catador de histórias". Às 20h será a sessão de autógrafos no saguão do CMC. 20 Relatos Insólitos de Porto Alegre está à venda nas livrarias e também pelo site da editora (www.libretos.com.br).

 Rafael afirma que a ideia da obra foi motivada pela possibilidade de exercitar uma narrativa mais curta, ágil e ao mesmo tempo apresentando os elementos da trama e os personagens de forma consistente para envolver o leitor e torná-lo cúmplice do que está sendo mostrado. “O que une estas histórias tão diferentes entre si é a estranheza que provocam. Também tive o cuidado de não estabelecer juízos morais sobre os comportamentos dos vários personagens, mesmo que ajam muitas vezes nas fronteiras da ética”, declara.


 As narrativas misturam drama, romance, tragédia, memória, jornalismo e teatro, envolvendo personagens reais e cenários, incluindo locais que hoje não existem mais. Um dos episódios narra a dor inapelável da viúva de Júlio de Castilhos. Honorina, apaixonada pelo marido, não suportando mais sua ausência depois de 20 anos de vida em comum, acaba por suicidar-se, com um fogareiro, na antiga residência da família, onde hoje funciona o Museu Júlio de Castilhos.


 São tantas histórias, mas uma em especial é de um lirismo e uma narrativa envolvente ao melhor sabor do romantismo. "Opereta em Cinco Atos" trata da paixão do maestro italiano Costábile, da Compagnia Lírica Lillipunziana della Cittá di Roma, atração do Theatro Colyseu, dirigido pelos irmãos Petrelli pela cantora adolescente Maria Ricci, de 13 anos, muito antes de Nabokov pensar em escrever sua "Lolita". A cantora de "Carmen", de Georges Bizet, e o maestro desenvolvem o romance, mas a sociedade à época, 1911, e hoje em dia também, jamais poderia aceitar que isto seria amor. A trama muito bem escrita por Rafael Guimaraens nos coloca, mesmo em terceira pessoa, na perspectiva dos amantes e no velho conceito do amor proibido. Uma pérola de texto.


O livro aborda também outras histórias, como o dramático caso de amor entre o compositor erudito José de Araújo Vianna e a cantora e pianista Olinta Braga; o surgimento da mística em torno da moça assassinada que virou santa popular(Maria Degolada); a maldição da negra Inácia, que acusada de feitiçaria doméstica acabou assassinada pelos patrões; a espetacular fuga da Ilha do Presídio a bordo de duas panelas e a apresentação da peça Roda Viva, de Chico Buarque, que afrontou o decoro da sociedade porto-alegrense.



SOBRE O AUTOR


 Rafael Guimaraens nasceu e sempre viveu em Porto Alegre, assim como seu avô, o poeta simbolista Eduardo Guimaraens, e seu pai, o jornalista Carlos Rafael Guimaraens, um dos principais cronistas de sua geração. Quando estudante de Comunicação, Rafael participou da luta pela redemocratização do país durante a Ditadura Militar, e logo engajou-se na Cooperativa dos Jornalistas de Porto Alegre, como repórter e secretário de redação do lendário Coojornal.

 É autor de 15 livros, com ênfase na construção da memória. Foi premiado pelos livros Tragédia da Rua da Praia (prêmio O Sul, Nacional e os Livros, 2006), A Enchente de 41 (Prêmio da Associação Gaúcha de Escritores, categoria Não-Ficção, 2008), Teatro de Arena – Palco de Resistência (Prêmio Açorianos, categoria Especial e Livro do Ano, 2009) e Coojornal – Um Jornal de Jornalistas sob o Regime Militar, como um dos organizadores (Prêmio Açorianos, categoria Especial, 2012).


 Integrou a Comissão da Verdade do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Porto Alegre, que investigou casos de repressão e censura durante o Regime Militar, e participa de movimentos em defesa dos Direitos Humanos, da preservação dos espaços públicos e da qualidade de vida.



SOBRE A OBRA


20 Relatos Insólitos de Porto Alegre


Rafael Guimaraens


Libretos editora, 2017


216 páginas, R$34,00


ISBN: 978-85-5549-020-0