Para ler sobre as canções
capa

Para ler sobre as canções

Por

publicidade

FISCHER-Alcance-Capa-AF

 

Livro "O Alcance da Canção - Estudos Sobre Música Popular", organizado por Luís Augusto Fischer e Guto Leite será lançado nesta quarta, às 18h30min, em Porto Alegre

 

Por Luiz Gonzaga Lopes

 

A canção está mais presente em nossas vidas do que qualquer livro ou ditame acadêmico-literário. Parece contraditório, mas qualquer pessoa pode lembrar uma canção e nem todas (só profissionais do ramo) conseguem recitar um poema ou um trecho de livro ou peça. O professor de Literatura Brasileira na Ufrgs, Luís Augusto Fischer, sabe disto e vem incentivando e orientando investigações sobre o tema da canção, da música popular brasileira nos meios acadêmico. Ele e o colega de discência Guto Leite resolveram levar ao leitor-ouvinte 22 artigos e/ou ensaios que propõem reflexões sobre este mundo, vasto mundo, da canção popular. O resultado desta empreitada é "O Alcance da Canção - Estudos Sobre Música Popular", livro com 392 páginas que a Arquipélago Editorial lança nesta quarta, 28 de setembro, às 18h30min, com sessão de autógrafos na Palavraria (Vasco da Gama, 165).

 

Na apresentação da obra, Fischer, militante pela literatura brasileira há três décadas e também pela canção popular, sendo coordenador pioneiro do Núcleo de Estudos da Canção da Ufrgs, dá uma pequena noção do segundo plano que teria, em tese, a canção no meio acadêmico:

"Professor algum, com quem eu tenha interagido na faculdade, mencionou qualquer caso de canção como arte relevante dentro do universo culto, em geral, ou do universo letrado, em particular. Mas entre os colegas é claro, claríssimo que ela, a canção, era a nossa praia, porque, mesmo sem saber dizer isso com nitidez, era ela a verdadeira formação lírica da geração. Podíamos não saber recitar os clássicos da poesia escolar, os Casimiro de Abreu e os Bilac, que na nossa experiência já não nos obrigavam a decorar; mas todos sabíamos de coração, por exemplo, que era preciso estar atento e forte, porque não tínhamos tempo de temer a morte, como cantava Gal Costa, em canção de Caetano Veloso."

 

A obra reúne autores de formações diversas e interesses múltiplos, com olhares que contemplam gêneros, compositores, intérpretes e períodos da história mundial e da música que acabam compondo um mosaico do século XX e XXI, de Noel Rosa a Bob Dylan, de Caetano Veloso a Atahualpa Yupanqui, da Bossa Nova ao Manguebeat. Os ensaios têm o acadêmico e o empírico irmanados, pois vão desde "Bruta Flor da Canção", tema da dissertação de mestrado de Leandro Maia sobre "Quereres", de Caetano Veloso, até "O Jabá e a Formação do Gosto Musical - um estudo sobre o mundo das FMs", de Katia Suman (Doutoranda em Literatura Brasileira pela Ufrgs), que coloca as suas mais de três décadas de prática a serviço de um estudo a refletir academicamente sobre o jabá na atualidade, pós "tsunami digital".
No início dos anos 90, dando aulas no curso de Letras, Fischer desenvolveu a ideia de criar uma disciplina dedicada exclusivamente ao assunto, que se chamaria Canção Popular
Brasileira. “Todo mundo tem direito ao Noel Rosa, e esse direito será mais bem atendido se
os letrados se encarregarem dele”, escreve o professor. Noel já dizia que ninguém aprendia samba no colégio. Este livro de referência pretende ser mais uma ponte entre o leitor-ouvinte e a escrita sobre canção popular. Guto Leite, em recente entrevista, afirmou que o leitor também pode ter um panorama sobre as configurações históricas, políticas e sociais de algumas décadas do século XX e XXI. "Quem ler o artigo sobre Bossa Nova, do Carlo Pianta, vai saber dos anos JK em diante. Quem ler o ensaio sobre Tropicalismo, Caetano e a crítica, do Paulo Coimbra Guedes, vai saber um pouco mais sobre o golpe e a ditadura militar", finaliza Guto.

 

OS ORGANIZADORES
LUÍS AUGUSTO FISCHER

Doutor em Letras e professor de Literatura Brasileira na Ufrgs. É autor de "Quatro Negros" (novela) e "Dicionário de Porto-Alegrês", entre outros. Pela Arquipélago, publicou "Machado e Borges: e outros ensaios sobre Machado de Assis", "Inteligência com Dor: Nelson Rodrigues ensaísta", vencedores do Prêmio Açorianos de Literatura, além de "Filosofia Mínima: ler, escrever, ensinar, aprender", finalista do Prêmio Jabuti.
CARLOS AUGUSTO BONIFÁCIO LEITE (GUTO LEITE)

Poeta, compositor e professor de literatura na Ufrgs. É autor de cinco livros de poesia, entre eles, "Entrechos ou Vaios do Silêncio", vencedor do Prêmio Açorianos de Criação Literária. Lançou dois discos, "brique" (2015) e "dez canções sem as quais você não poderá viver nem mais um segundo" (2016).

 

SERVIÇO

O QUÊ: SESSÃO DE AUTÓGRAFOS: "O Alcance da Canção
Estudos sobre música popular" (Arquipélago Editorial)

QUANDO:  28 de setembro (quarta-feira), às 18h30min

ONDE: Palavraria (Rua Vasco da Gama, 165)

QUANTO: R$ 55,00