Áustria se despede de Niki Lauda
capa

Áustria se despede de Niki Lauda

Muitas personalidades do esporte compareceram ao velório do piloto austríaco

Por
AFP

O capacete vermelho de Lauda foi depositado sobre o caixão e milhares de pessoas fizeram fila sob forte chuva para poder prestar uma última homenagem

publicidade

O mundo da Fórmula 1 e milhares de admiradores de Niki Lauda deram adeus nesta quarta-feira ao tricampeão do mundo austríaco, morto em 20 de maio, aos 70 ano, em homenagem pública na catedral São Estevão de Viena. Antes da missa, que contou com a presença de cerca de 300 convidados, a catedral abriu suas portas ao grande público para que todos pudessem se despedir do ídolo.

Muitas personalidades do esporte compareceram ao velório, entre elas os ex-pilotos Alain Prost, Nico Rosberg, Gerhard Berger e David Coulthard, além do atual campeão do mundo Lewis Hamilton, acompanhado por toda a equipe Mercedes, na qual Lauda trabalhava como vice-presidente executivo. "Amávamos e admirávamos Niki, admirávamos sua coragem, sua força, seu amor", afirmou o ator de orgiem austríaca Arnold Schwarzenegger diante dos convidados.

O capacete vermelho de Lauda, com seu nome, foi depositado sobre o caixão, assim como um de seus macacões de corrida, e milhares de pessoas fizeram fila sob forte chuva para poder prestar uma última homenagem. Lauda, lenda da Fórmula 1 e ídolo na Áustria, será enterrado em uma cerimônia íntima em um lugar mantido em segredo, anunciou a família. O ex-piloto faleceu em 20 de maio no Hospital Universitário de Zurique, na Suíça, nove meses depois de ter realizado um transplante de pulmão, do qual havia se recuperado com dificuldades.

O austríaco ocupava desde 2012 o cargo de vice-presidente executivo da Mercedes e foi peça-chave para que Lewis Hamilton deixasse a McLaren e fosse correr pela equipe alemã, com a qual conquistou quatro títulos mundiais. O ex-piloto austríaco foi homenageado no último fim de semana, durante o GP de Mônaco, com um emotivo minuto de silêncio antes da corrida.

Hamilton, que venceu a prova, exibiu o capacete de Lauda e lhe dedicou a vitória. Lauda correu por quatro anos na Ferrari, entre 1974 e 1977, conquistando o título mundial em 1975 e 1977. Conseguiu um terceiro título mundial em 1984, já pela McLaren.

Foi ao volante da Ferrari que Lauda sofreu o acidente que quase lhe custou a vida, em 1976, quando ficou preso no carro em chamas, sendo resgatado por pilotos adversários. Os gases tóxicos que inalou durante o acidente debilitaram seu organismo e as queimaduras deixaram visíveis cicatrizes em seu corpo. Após dois transplantes de rim em 1997 e 2005, foi submetido a um transplante pulmonar de extrema urgência em agosto de 2018, após contrair um vírus durante viagem a Ibiza. Lauda também se destacou como empresário de sucesso, fundando várias companhias aéreas, entre elas a que levava seu nome e foi vendida à irlandesa Ryanair no ano passado.