Argentino lidera Dakar, e Alonso é dublê de mecânico após bater em rocha

Argentino lidera Dakar, e Alonso é dublê de mecânico após bater em rocha

Edição de 2020, na Arábia Saudita tem luta inicial entre Toyota, Mini e buggie de Carlos Sainz

Correio do Povo

Sul-africano ganhou segunda etapa do rally

publicidade

O Rally Dakar, em 2020 realizado na Arábia Saudita, chegou ao seu segundo dia dividindo os ânimos da fabricante Toyota. Enquanto a montadora liderou a etapa com grande apresentação do experiente sul-africano Giniel de Villiers, a grante atração do time Gazoo para o rally, Fernando Alonso, quase ficou pelo caminho.

Raçudo, o espanhol bicampeão de Fórmula 1 protagonizou cena inusitada ao lado do co-piloto Marc Coma. A dupla teve que desmontar toda a suspensão do seu Toyota após a quebra de uma roda no piso pedregoso da etapa entre Al Wajh e Neom. Perderam duas horas e meia, provavelmente qualquer chance de vitória, mas Alonso projetou ir até o fim da aventura.

O argentino Orlando Terranova assumiu a liderança do certame com seu Mini Cooper, fruto de uma navegação perfeita. Com poucos erros de trajeto, ele superou até um furo de pneu para chegar em segundo lugar na especial. O bicampeão Carlos Sainz manteve a pressão com seu Buggy e fechou em sexto no geral, mas 13 minutos atrás de de Villiers. O suficiente para ainda ser o segundo colocado na somatória de tempos. Atual campeão, Nasser Al-Attiah é o terceiro.

Nas motos, o britânico Sam Sunderland tenta manter a hegemonia da KTM, ainda no topo. Ficou apenas um minuto à frente do chileno Pablo Quintanilla, batalhando com a Husqvarna de fábrica. O argentino Kevin Benavides apareceu em terceiro com a Honda, numa divisão de forças que há anos não se via. A disputa promete ser apertadíssima, com nove minutos separando os dez primeiros.

O susto do dia ficou para um tombo da espanhola Laia Sainz. Ela caiu, machucou o rosto, mas continuou em frente e ainda fechou com 43 minutos de desvantagem para os líderes.

Nos UTVs, os brasileiros Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmim lutam para se recuperarem de um deficit de duas horas a partir do terceiro estágio. Ocupam o 26º lugar.

Nos caminhões, a Bielorrúsia vai levando a melhor, mas numa batalha fortíssima com os russos. Siarhei Viazovich conduz o gigante MAZ a um minutos de diferença dos rivais Dmitry Sotnikov com o Kamaz. O multicampeão Eduard Nikolaev é o quinto, a 15 minutos com seu Kamaz.


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895