Leclerc segura Hamilton e faz história em Spa com primeira vitória
capa

Leclerc segura Hamilton e faz história em Spa com primeira vitória

Primeiro piloto de Mônaco a vencer corrida teve que segurar Mercedes no fim, com pneus desgastados

Por
Bernardo Bercht

Monegasco largou bem e segurou pressão de Hamilton para vencer finalmente

publicidade

Charles Leclerc fez uma corrida impecável e fez história neste domingo com a primeira vitória de um piloto de Mônaco na Fórmula 1. A Ferrari tinha mais velocidade, mas o melhor consumo de pneus da Mercedes colocou Lewis Hamilton na briga. O pentacampeão pressionou no fim, mas Leclerc foi firme e cruzou a quadriculada para vencer a primeira dele na carreira e a primeira da Ferrari em 2019. Os prateados completaram o pódio, com Valtteri Bottas em terceiro, já que Sebastian Vettel não conseguiu fazer os pneus aguentarem e parou mais uma vez.

A largada teve Max Verstappen fazendo aquela bobagem que há muito tempo não se via. A enorme torcida holandesa foi frustrada em poucos metros de corrida. O piloto da Red Bull largou mal e freou de maneira temerária, batendo em Kimi Raikkonen, que tinha arrancado de forma brilhante e até ameaçava Bottas. A suspensão da Red Bull quebrou e
Verstappen foi ainda mais imprudente a seguir. Percebeu que o carro estava estranho e ainda assim tentou fazer a Eau Rouge em velocidade. Passou reto e bateu de frente, felizmente sem consequências além do ego ferido desinflar. Sempre brilhante em Spa, Raikkonen já tinha a corrida estragada.

Quem pulou bem foi Hamilton, que passou Vettel na primeira curva. Só que a velocidade extrema em reta da Ferrari ajudou o alemão a responder. Depois da Eau Rouge, o carro vermelho já botava por dentro e batia a carteira do britânico. O pole, Leclerc, abriu um pouco na dianteira, mas sem sair da alça de mira do companheiro. Uma breve intervenção do safety car foi necessária para limpar o estrago de Verstappen e veio a relargada.

Nesses primeiro momentos, as disputas eram muito intensas no meio do pelotão. Tirando Lando Norris, que navegava em quinto sozinho com a McLaren, Haas, Renault, Racing Point, Toro Rosso e a Red Bull de Alex Albon se digladiavam em longa fila que começava nos pontos e terminava na frente das Williams. A Haas chegou a puxar essa fila, com Romain Grosjean em sexto à frente de Kevin Magnussen. Mas, para variar, os carros norte-americanos torraram seus pneus e logo começou uma procissão de ultrapassagens sobre os dois carros.

Daniel Ricciardo, que caiu lá para trás na confusão de Verstappen, foi quem melhor escalou o pelotão para se posicionar entre os pontuadores. Pierre Gasly fez um brilharete com a Torro Rosso e chegou a andar na frente da Red Bull que o despromoveu. Não duraria até fim.

Vieram as paradas nos boxes e Vettel resolveu antecipar em cinco voltas os rivais. No início funcionou e o alemão voltou em primeiro, bem à frente do companheiro de equipe. Parecia que a Ferrari ia lascar a tática do monegasco de novo. Mas logo ficou claro que Vettel estava bem mais lento com pneus desgastado. A Scuderia mandou o alemão deixar Leclerc passar e disparar na ponta. Hamilton, que parou ainda mais tarde, chegou chegando e, apesar de Vettel segurar por duas voltas, passou a Ferrari. Primeiro, tentou na Bus Stop antes da bandeira de chegada. Foi uma troca bonita de tintas, mas o passão veio mesmo depois da Eau Rouge, com a asa móvel e uma cortada forte o esse para ser o vice-líder. Bem mais lento, Vettel foi para os boxes trocar pneus.

Restava agora a perseguição de Hamilton a Leclerc, com a Mercedes tratando um pouco melhor dos pneus que a Ferrari. Lá atrás, Alex Albon fez uma ultrapassagem magistral, com um duplo xis e por fora, sobre Daniel Ricciardo. A Renault tinha um pouco de problema de freios, mas não tirou o mérito do tailandês que finalmente se posicionou à frente dos dois carros da Toro Rosso, sua ex-equipe..

Com muito mais borracha no Pirellão, Hamilton chegou com tudo na última volta. Leclerc se embolou com alguns retardatários e a Mercedes sentou no aerofólio traseiro da Ferrari. Tarde demais, o monegasco segurou a onda e ainda passou por Antonio Giovinazzi estampado no muro antes de cruzar a linha de chegada com sua primeira vitória na Fórmula 1. A festa foi silenciosa, em homenagem ao francês Anthoine Hubert, morto em acidente da Fórmula 2 no sábado.

Valtteri Bottas completou o pódio, com Vettel babando em quarto de pneus macios. Lando Norris ia carimbar seu melhor resultado na F1, mas a McLaren teve problemas ao abrir a última volta. Albon passou Perez na última curva, agradeceu e levou o quinto lugar. Sérgio Perez teve o esforço recompensado com um sexto lugar na Racing Point já com os pneus carecas. O sétimo foi o sempre esforçado Daniil Kvyat, com Nico Hulkenberg surgindo de repente no oitavo posto com a Renault, seguido de Gasly, pontuando na sua reestreia de Toro Rosso. Lance Stroll levou o pontinho final, ao superar Ricciardo, que teve problemas nos freios e despencou nas voltas finais. Giovinazzi ia chegar na frente de toda essa turma, mas estampou o muro na volta final e ali ficou, apesar da corrida combativa. Só prejuízo para a Alfa Romeo.