O Samurai Voador voltou! Takuma Sato vence prova da Indy em Barber
capa

O Samurai Voador voltou! Takuma Sato vence prova da Indy em Barber

Japonês fez corrida perfeita e se recuperou de susto no fim para chegar ao topo do pódio

Por
Bernardo Bercht

Piloto segurou pressão de Dixon e Bourdais para faturar

publicidade

O samurai voador estava com a katana afiada neste domingo. Takuma Sato largou da pole-position, até viu a liderança ameaçada, mas fez tudo certo para vencer a prova de Barber da Fórmula Indy, no Alabama. Do seu jeitão kamikazy, ainda deu uma baita susto na equipe Rahal Letterman, ao sair da pista e voar com as quadro rodas fora do chão com a quadriculada em vista. Mas aterrissou e foi para a galera com o troféu na mão.

O segundo colocado foi o inesgotável Scott Dixon, dando aula até para o cronômetro com a constância das suas voltas rápidas. No final, segurou com perfeição um esbaforido Sebastien Bourdais. O francês tinha mais segundos de botão de ultrapassagem e pneus novos, mas não foi o suficiente para passar o neo-zelandês.

Num dia em que todo mundo queria ter motor Honda, Josef Newgarden salvou um docinho para a Chevrolet. Depois de muita luta, finalizou em quarto com a Penske, num fim de semana totalmente atípico para a gigante da Indycar. Atrás dele, Alex Rossi, James Hinchliffe e Marcus Ericsson, todos babando de Honda.

Para os brasileiros, o dia não foi dos mais promissores. Tinha tudo para ser combativo, para Matheus Leist, mas o gaúcho teve mais um dia de tática ruim e pneu errado na hora errada ao longo da disputa. As estratégias da Foyt para os dois pilotos, por sinal, foram inexplicáveis.

Já na segunda metade da corrida, Max Chilton causou uma bandeira amarela. O pelotão foi para as trocas, mas os dois brasileiros ficaram na pista. Tony tinha chance de ameaçar o top ten, inclusive. Veio a bandeira verde, e em seguida Leist foi trocar pneus e abastecer. Caindo para último entre os que não tiveram problemas. Ainda conseguiu passar Ben Hanley, mas foi pouco para as aspirações do jovem piloto. Para Kanaan, ainda pior. Em 12º, parou a sete voltas do fim e despencou para 18º, fora do combate.