Timo Bernhard homenageia Stefan Bellof 30 anos após morte trágica do alemão
capa

Timo Bernhard homenageia Stefan Bellof 30 anos após morte trágica do alemão

Por

publicidade



Enquanto acelerava com a Tyrrell, também assinou com a Porsche para correr a 400 km/h nas pistas de Endurance. Sua velocidade está cravada num recorde que perdura desde 1983, quando anotou a volta mais rápida do Inferno Verde, a antiga e desafiadora pista de Nurburgring. Beloff anotou 6min11s13 para fazer a pole-position daquela corrida, a uma média de 204 km/h.

Quando Ayrton Senna venceu sua primeira corrida, em 1985, Bellof colocou a Tyrrell, ainda com motor aspirado, em sexto nas condições encharcadas do autódromo do Estoril. Infelizmente, quando a equipe conseguiu um motor Renault turbo, ele só teve duas provas para aproveitar. Em Spa, ele tentou dividir a Eau-Roube com Ickx e sua roda dianteira direita bateu na traseira esquerda do rival. O carro de Bellof colidiu de frente nos guard-rails e pegou fogo. O alemão ainda foi retirado das ferragens, com ajuda de Ickx e dos fiscais de pista, mas morreu ainda no autódromo com hemorragia interna.


Artigo de revista da época mostra os detalhes do acidente: