Mercado de trabalho precisará se adaptar para aumento de profissionais a partir dos 40 anos

Mercado de trabalho precisará se adaptar para aumento de profissionais a partir dos 40 anos

A coordenadora do Núcleo de Práticas Integradas (NPI) da Escola de Negócios da FADERGS, Carmem Castro, comenta as mudanças

Correio do Povo

A coordenadora do Núcleo de Práticas Integradas (NPI) da Escola de Negócios da FADERGS, Carmem Castro, fala sobre como as empresas e os trabalhadores precisarão se reinventar

publicidade

A população está envelhecendo e, como consequência disso, o mercado de trabalho também. Para acompanhar essa mudança, as empresas precisarão se reinventar. “Quando a gente fala de diversidade, é interessante ver que os empresários assumiram várias pautas, mas não a pauta do etarismo. Essa é a que reúne mais diversidades, porque a pessoa pode ser 40+, e também ser mulher, negra, homossexual e mãe”, afirma Carmem Castro, coordenadora do Núcleo de Práticas Integradas (NPI) da Escola de Negócios da FADERGS.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, em 2030, o número de idosos com 70 anos no Brasil será maior que a população de crianças e adolescentes de 0 a 14 anos. Além disso, estudos da PwC e da FGV indicam que 57% da força de trabalho no Brasil terá 45 anos ou mais já em 2040. Para Carmem, esses números antecedem a pandemia, mas agora se potencializaram ainda mais. “Hoje, o jovem que sai da faculdade quer um trabalho flexível, quer home office. E as empresas continuam precisando de pessoas que estejam lá dentro. Então elas vão precisar dar espaço para esses profissionais”, destaca.

Para que o mercado de trabalho para 40+ seja reconhecido, os profissionais também precisam se reinventar. Carmem destaca três pontos importantes de serem considerados pelas pessoas que completaram quatro décadas de vida e estão em busca de uma nova oportunidade de trabalho:

Abertura para o novo

É preciso criar desafios diários, mensais, anuais. Eles podem vir como: aprender atividades em áreas distintas, fazer um curso de programação ou aprender um novo idioma. “Esses pequenos desafios são muito importantes para abrir nosso mindset. E até para entendermos que nem sempre vamos conseguir atingir um objetivo com excelência. As pessoas pensam que têm que dar certo, mas não necessariamente têm que dar certo. É preciso estar disposto a aprender, a fazer alguma coisa diferente do que sempre fez”, ressalta.

Participação em grupos

Trocar ideias e dividir angústias profissionais pode ser uma ótima oportunidade para se reinventar. “Quando participamos de grupos, nos empoderamos. Nós aprendemos com o feedback do outro, com a história e com o aprendizado. É importante saber pedir ajuda! O medo faz com que as pessoas não se abram para o novo e não tomem iniciativas”, complementa.

Pesquisa

Por último, Carmem destaca a importância de pesquisar! “Vale a pena olharmos o que empresas estão pedindo para o cargo. Se a pessoa não possui determinada habilidade, pode ir atrás e se especializar. Às vezes o profissional 40+ parece que está totalmente desatualizado, e em muitas situações é apenas um detalhe”, ressalta.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895