People Analytics: como buscar, reter e desenvolver talentos nas empresas

People Analytics: como buscar, reter e desenvolver talentos nas empresas

Clarice Martins Costa aborda em livro temas atuais do RH, como os impactos da transformação digital e da cultura data-driven na Gestão de Pessoas

Correio do Povo

Clarice Martins Costa aborda em novo livro temas atuais do RH, como os impactos da transformação digital e da cultura data-driven na Gestão de Pessoas

publicidade

Muito se fala sobre as soft skills mais desejadas por diversos segmentos de empresas, mas ainda é incipiente o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) para gerir essas informações e aplicá-las para o melhor uso desses talentos. Atenta à cultura de data-driven e às melhores práticas de Recursos Humanos, Clarice Martins Costa traz sua experiência, especialmente à frente da Diretoria de Gente e Sustentabilidade de Lojas Renner, para auxiliar na estratégia empresarial. No livro lançado pela editora Qualitymark. Em Gestão de Pessoas na Estratégia Empresarial - O Novo Papel Estratégico da Tradicional Área de RH nas Organizações, a autora disseca a transformação digital no mundo corporativo e alerta para uma tendência sem volta: o RH Data-Driven, ou People Analytics.

Em última instância, é disso que se trata: a análise de pessoas. “As empresas estão acostumadas a coletar dados sobre os consumidores, quanto mais dados, mais os conhecem e melhor conseguem atender às suas expectativas e gerar bons negócios. Com os colaboradores deve ser a mesma coisa: quanto mais dados, mais conhecimento e melhor podem aproveitar seus talentos, terem engajamento e atingirem metas de produtividade”, orienta a especialista. Clarice se vale de sua própria experiência gerenciando pessoas para dar o exemplo: “Um dos grandes direcionadores estratégicos de Lojas Renner é seu propósito, tão cultivado lá dentro, de sempre encantar seus clientes. A presença, na empresa, desse importante direcionador cultural pede, por si só, que sua área de People Analytics procure colher e tratar dados que aumentem as chances de realizar esse propósito”, explica.

Ter uma excelente base de dados, onde estejam catalogadas skills, competências e características de colaboradores e gestores é de grande interesse para as empresas, permitindo saber, por exemplo, os perfis que permanecem mais ou menos tempo em determinadas funções. Assim, é possível planejar melhor as equipes, direcionar promoções e evitar problemas, identificar setores que apresentam maior taxa de turnover e buscar soluções, e ainda desenvolver talentos dentro da empresa. “Os jovens de hoje costumam criar menos vínculos, e a geração millennial já corresponde a 50% da força de trabalho. Como engajar esses profissionais? Será preciso sair da rotina, fazer giros entre setores e promover diferentes experiências para minimizar esse gap e encantar esse colaborador”, exemplifica.

Cada vez mais, os profissionais buscam qualidade de vida e equilíbrio entre trabalho e bem-estar, e as empresas precisam mudar o mindset de gerar apenas lucro para gerar felicidade. “Pessoas são o grande ativo das empresas, e tê-las como prioridade absoluta é decisivo para o êxito profissional de quem trabalha na área”, alerta Clarice.

E segundo a especialista, empresas de todos os portes podem utilizar People Analytics a seu favor. “As estratégias de Gestão de Pessoas tendem a ser mais visíveis e noticiadas quando se trata de empresas grandes e renomadas. Mas também as pequenas e médias empresas se qualificam perfeitamente para agir nesta área. Muitas vezes, elas têm RH que cuidam apenas de contratos e folhas de pagamento, funções técnicas, que poderiam inclusive ser terceirizadas. Se a empresa tem um setor pequeno, o ideal é que ele esteja voltado a promover a cultura institucional, os valores e propósito da empresa. Esta é a verdadeira vocação da área na estratégia empresarial, a fim de criar um ambiente mais produtivo e onde as pessoas queiram trabalhar e se desenvolver”, orienta.

Sobre a autora

Psicóloga de formação, Clarice apaixonou-se por cultura organizacional, gestão de talentos, sustentabilidade, desenvolvimento de líderes e transformação digital, fazendo excepcional carreira na tradicional área de Recursos Humanos. Dirigiu o setor de Gestão de Pessoas e Sustentabilidade de Lojas Renner, empresa onde trabalhou por 30 anos e onde hoje preside o Conselho Deliberativo do Instituto Lojas Renner.

Foi a primeira mulher a integrar o Conselho Administrativo do Grupo Panvel e a presidir a seccional gaúcha da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), além de, mais de uma vez, eleita Profissional do Ano por publicações do setor. Atualmente, integra ainda o Conselho Deliberativo do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) e o comitê de pessoas de organizações como Piccadilly, Copersucar e Grupo Panvel.

Sobre o livro

Gestão de Pessoas na Estratégia Empresarial - O Novo Papel Estratégico da Tradicional Área de RH nas Organizações, de Clarice Martins Costa, com prefácio de José Galló, presidente do Conselho de Administração de Lojas Renner. Editora Qualitymark, 2021, 324 páginas.

A tradicional área de Recursos Humanos está se modernizando e ganhando contornos inteiramente novos, com as novas demandas que o universo dos dados e dos algoritmos atualmente coloca às empresas e aos seus profissionais. O próprio nome desse fundamental setor da organização - Recursos Humanos -, que até recentemente era aceito sem questionamentos, soa agora anacrônico e fora de moda. Hoje, uma gestão competente dessa área requer que seu diretor ou gestor sênior esteja totalmente focado na estratégia da organização, com uma atenção especial na transformação digital desta, trabalhando em uníssono com o CEO e todo o C-Level. O livro fala de como chegar a isso através da Gestão de Pessoas, explicando ao leitor como se conduz com competência essa essencial área.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895