Calendário eleitoral antecipado

Calendário eleitoral antecipado

Entrada de Bolsonaro no PL e prévias do PSDB são percursores efeito cascata de articulações nos estados

Taline Oppitz

O presidente Jair Bolsonaro discursou para simpatizantes após se filiar ao PL

publicidade

Após dois anos sem partido, o presidente Jair Bolsonaro se filiou ao PL e levará com ele uma série de lideranças, que além de serem aliadas, acreditam na reprodução da onda bolsonarista que ocorreu nas eleições de 2018. O movimento foi o primeiro relevante após o desfecho das prévias do PSDB, que no sábado confirmou o governador de São Paulo, João Doria, como pré-candidato do partido. A filiação de Bolsonaro, assim como o desfecho das prévias tucanas, deflagrará efeito cascata de articulações nos estados visando as eleições de 2022. E a determinação é a de não perder tempo.

Líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR) já afirmou que Bolsonaro buscará a reeleição com coligação integrada além do PL, seu novo partido, também com o PP e o Republicanos. Todos eles integram o chamado Centrão, que sustenta Bolsonaro há alguns meses após diversas negociações. Segundo Barros, o presidente escolheu o PL, e pede apoio ao Republicanos, PP e outros partidos que serão procurados. “Vamos iniciar a campanha. A partir de hoje, começamos com a costura das alianças regionais, uma vez decidida a filiação do presidente Bolsonaro. Vai ser um esforço de conciliação para fortalecer os palanques regionais para que Bolsonaro possa ter uma reeleição tranquila”, disse.

As alianças nos estados são decisivas e quase levaram Bolsonaro a desistir da filiação ao PL, devido às aproximações regionais com partidos desaprovados pelo presidente. As arestas acabaram aparadas e seu ingresso se concretizou. Após 28 anos como deputado, Bolsonaro tornou-se um fenômeno eleitoral em 2018, pelo PSL, à época, praticamente inexistente. Com a eleição, o partido se tornou um dos maiores do país, mas não demorou muito para que as desavenças começassem. Na prática, eram muitos caciques e poucos índios, o que levou ao desembarque de Bolsonaro. 


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895