André vai do fundo do abismo ao sorriso de campeão, em dois pênaltis
capa

André vai do fundo do abismo ao sorriso de campeão, em dois pênaltis

Centroavante virou personagem da partida com muito drama e sorriso no final

Por
Bernardo Bercht

Centroavante aproveitou segunda chance rara e encerrou noite nos braços da torcida

publicidade

O herói do título foi Paulo Victor, mas o personagem da noite definitivamente foi o centroavante André. Um dos mais contestados jogadores do Grêmio, o atacante foi do mais profundo abismo do poço à glória total na noite desta quarta-feira.

No primeiro tempo, foi pouco efetivo na área, mas mostrou vontade. André roubou bolas, se apresentou no meio, apareceu na linha de fundo e cruzou para área. Onde ele devia estar e, portanto, não apareceu para fazer o gol. O atacante até chegou a balançar as redes, mas, em posição irregular, teve sua glória anulada pela arbitragem, antes do intervalo.

Veio a segunda etapa e caiu no seu colo o possível lance definitivo da partida. Pênalti para o Grêmio, com drama, com VAR. Com Cortez sofrendo um leve puxão e a análise de vídeo confirmando.

André parou na área, com a bola nas mãos. O Inter, indignado, manteve a partida parada por 10 minutos e teve D'Alessandro e Odair expulsos. Deve ter passado um filme na cabeça do centroavante do Grêmio. “Onde vou bater, onde o Marcelo Lomba vai pular? Se eu errar, acabou tudo, ninguém vai perdoar...”

Virou filme de terror. André bateu no canto direito, Lomba voou certeiro e defendeu. Os braços penderam ao lado do corpo, mais um dissabor gremista com o centroavante em que tanto se apostava. Quarenta e quatro jogos, apenas seis gols.

Mas vieram as penalidades e caiu de novo a bola do jogo na frente de André, o definidor. Renato invadiu o campo e disse para ele bater. Ele foi, correu e mandou uma marretada no canto esquerdo. Estufou as redes e, finalmente, abriu-se um sorriso. Sorriso de campeão, do recomeço da carreira de André no Grêmio. Recomeço, ainda, com homenagem ao companheiro, Marcelo Oliveira: "Quero dedicar a um amigo, o Marcelo que infelizmente não tá aqui, mas é um cara sensacional".