Denis Abrahão sobre sequência do Grêmio no Brasileirão: "Matar ou morrer"

Denis Abrahão sobre sequência do Grêmio no Brasileirão: "Matar ou morrer"

Time afastou sete jogadores e irá com elenco de 25 atletas para os últimos três jogos na Série A 2021

Correio do Povo

Denis Abrahão se manifestou nesta terça-feira

publicidade

Ainda incoformado com a apatia da equipe na derrota para o Bahia, o vice-presidente de futebol, Denis Abrahão, voltou a cobrar melhor desempenho do time nessa reta final do Brasileirão. O Tricolor afastou sete atletas que estão fora dos planos na temporada e reduziu o elenco para ter maior comprometimento na luta contra o iminente rebaixamento. "Antes tarde do que mais tarde. Agora é matar ou morrer. Chega de sofrimento e de angústia. Ou mata ou morre", pontuou o dirigente. 

"Fechamos com esses 25 e agora vamos em frente. Fechamos no CT, tivemos reunião. Esperamos que nesses três jogos restantes tenhamos jogadores atuando com a cara do Grêmio. Competitivo, copeiro, raçudo, com alma. Que eu possa reclamar de alguma coisa. Eu perco para o Bahia e não posso reclamar de ninguém. A não ser de mim. Do meu plantel e dos meus jogadores. Só tem jogadores de seleção nesse time. Falei no vestiário: o que está acontecendo aqui? Perdemos para o Atlético-GO e não posso reclamar de nada. Aí começam a me operar. Uma aqui outro ali. Chega no Gre-Nal, um escândalo. Temos que lutar mais", afirmou o cartola em coletiva nesta segunda-feira. 

Para escapar da Série B, o time gremista precisa vencer os próximos três jogos, começando já na quinta-feira, às 20h, com o São Paulo, na Arena. Depois, encara o Corinthians, em São Paulo, e fecha o Brasileirão contra o Atlético-MG, em casa. "É nossa obrigação". O tom em busca de uma reação reapareceu, depois de uma manifestação menos enérgica em Salvador. Questionado se o grupo recebeu bem o afastamento dos atletas, o vice de futebol garante que eles estão comprometidos e também incomodados com a situação da equipe na tabela. "Infelizmente, a vida é feita de escolhas e nós escolhemos os 25 que vão continuar até o final da temporada. Na minha frente, não falaram nada". 

Sobre eventual falta de comprometimento de atletas ainda integrados ao grupo, Abrahão entende que não é sua tarefa monitorar o que cada um faz em suas folgas. "Cada um sabe das suas responsabilidades. Se tu me perguntar o que eu fiz, eu sei o que eu fiz. Eu fiz minha ginástica diária, eu fui na missa. Tenho minhas empresas, meus negócios. Vou fazer o que? Enjaular o jogador em casa?", questionou. 

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895