Denis Abrahão vê melhoras no Grêmio em relação à vitória sobre o Juventude: "algo a mais apareceu"

Denis Abrahão vê melhoras no Grêmio em relação à vitória sobre o Juventude: "algo a mais apareceu"

Vice de futebol admite momento difícil, mas acredita em fuga do rebaixamento

Correio do Povo

Grêmio segue em situação delicada no Brasileirão

publicidade

O vice-presidente de futebol do Grêmio, Denis Abrahão, admitiu que o momento do Grêmio é delicado no Brasileirão. Após a derrota por 2 a 0 para o Atlético-GO, no entanto, disse que confia na recuperação e que a direção não irá "deixar a peteca cair", e que viu evolução na equipe, mesmo diante do revés em Goiânia. "O 'algo a mais' apareceu hoje. Faltou o gol. O Grêmio criou inúmeras oportunidades no primeiro tempo. O Grêmio foi senhor das ações. O Grêmio deixou de matar o jogo", enfatizou.

Na avaliação de Abrahão, o time apresentou melhoras em relação à vitória contra o Juventude, mas não conseguiu converter as oportunidades que criou, especialmente no primeiro tempo. "Faltou o gol. A equipe teve garra, determinação, e inúmeras oportunidades. Mas quem não faz, toma", lamentou.

De acordo com ele, o momento é realmente difícil, mas que a direção tem convicção no trabalho apresentado até o momento. Segundo ele, a dificuldade torna o grupo mais forte. "Temos o controle da situação. A responsabilidade é toda minha, e vamos agir para resolver os problemas. Não vamos deixar a peteca cair", assegurou.

Abrahão avaliou ainda que não adianta cuplar jogadores, como Paulo Miranda, por conta do pênalti. E que é preciso "olhar para frente" para buscar a reação. "O que passou, passou. Ficar remoendo não vai resolver. Temos que encarar a situação de frente", avaliou. 

Ele também afirmou que segue acreditando que a equipe tem condições de fugir do rebaixamento. "Se eu não acreditasse, eu não teria assumido essa situação", resumiu. O Grêmio volta a campo no domingo, quando enfrenta o Palmeiras, às 16h. A partida, válida pela 29ª rodada do Brasileirão, acontece na Arena.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895