Grêmio vai usar Gauchão para dar ritmo aos titulares
capa

Grêmio vai usar Gauchão para dar ritmo aos titulares

Time principal deve ser usado nas próximas três rodadas da competição regional

Por
Rafael Peruzzo

Atacante Everton destacou que a qualidade do grupo aumenta a exigência

publicidade

A fase de testes está chegando ao fim. Faltando um mês para a estreia do Grêmio na Libertadores da América, Renato Portaluppi deve aproveitar os próximos jogos do Campeonato Gaúcho para definir os 11 titulares, dar ritmo de jogo e afinar o entrosamento da equipe. Com jogos apenas aos finais de semana nas próximas três rodadas, a estratégia aponta para a utilização do time principal em todas elas. 

Começando pelo duelo do próximo domingo, quando o Tricolor recebe o Avenida, na Arena, pela 6ª rodada do Gauchão. A partida também vale o título da Recopa Gaúcha. A Libertadores, na verdade, já começou para o Grêmio. O clube gaúcho irá enfrentar na fase de grupos o vencedor da chave que tem Libertad, The Strongest, La Guaira e Atlético Nacional. Bolivianos e paraguaios ficaram no 1 a 1 em La Paz na terça-feira. Nesta quinta, venezuelanos e colombianos jogam pela etapa da preliminar.

“Se já começou para as outras equipes, então começou para nós também. Temos que estudar e analisar nossos possíveis adversários. O Renato pede para a gente acompanhar as partidas quando está em casa, tem que estar ligado”, diz o atacante Everton. Três vagas parecem estar abertas neste momento na equipe titular. Marinho e Montoya disputam um lugar no meio-campo. Por mais de três anos, Ramiro ocupou essa posição pelo lado direito. Alisson também estaria na briga, mas recupera-se de lesão no joelho.

Paulo Victor e Júlio César continuarão o revezamento no Gauchão. Mas, a partir do início da Libertadores, um deles será o escolhido para jogar entre os titulares. E no ataque, Jael, Felipe Vizeu e André concorrem à vaga de centroavante. Os dois primeiros estão à frente. “O Renato é quem vai ter de resolver essa questão”, brinca Everton. “O grupo está muito competitivo, isso eleva o nível, tem que manter alto porque você sabe que atrás de ti vem um companheiro com qualidade”, acrescenta o atacante. “A gente quer que o treinador tenha o maior número de peças à disposição”, finaliza.