capa

Maicon cita "testes" de Renato e desconversa sobre escalação do Grêmio

Meia destacou "grupo qualificado" independente de quem entrar em campo diante do Bahia, na quarta-feira

Por
Correio do Povo

Maicon afirmou que Renato ainda não decidiu time que começa jogo contra o Bahia

publicidade

Ao citar "testes" feitos ao longo da intertemporada pelo técnico Renato Portaluppi, o meia Maicon desconversou em relação a escalação que começa o jogo contra o Bahia, na quarta-feira, às 19h15min, pelas quartas de final da Copa do Brasil. A atividade desta segunda-feira a tarde foi fechada para a imprensa.

Maicon citou a retomada dos jogos importantes e decisivos, especialmente pela Copa do Brasil e Libertadores, e elogiou o período de treinos durante a Copa América. Evitou, no entanto, falar sobre a atividade desta segunda, deixando claro que Renato Portaluppi testou "algumas formações", mas que os jogadores não sabem quem entrará em campo. "Ele não tem os 11 ainda. Não passou pra gente, mas temos um grupo muito qualificado, com muita vontade para jogar", destacou. 

Numa das opções, testada inclusive nos últimos jogos-treino – a derrota para o São José por 4 a 1 e a vitória sobre o Criciúma, por 2 a 1 – o técnico usou Diego Tardelli como centroavante, deixando André e Felipe Vizeu como opções. "Fica um time de mais mobilidade. Facilita bastante", comentou o capitão, a respeito da alternativa. 

O jogador também projetou o confronto contra um velho conhecido dos gremistas: o técnico Roger Machado, hoje no Bahia. O capitão do Grêmio não poupou elogios ao ex-comandante. Falou sobre o acréscimo de Roger a jogadores mais novos, como Pedro Rocha, Wallace e o próprio Everton, contribuindo para o crescimento dos atletas. "Mas esperamos que o Renato possa sair vencedor desse duelo, é o nosso objetivo", frisou.

O meia comentou a participação do companheiro Everton na conquista do título da Copa América, com a Seleção Brasileira, ao vencer o Peru por 3 a 1 neste domingo. E projetou uma possível saída. "Ele vem se destacando como o melhor do país, melhor da nossa equipe. Ficamos tristes por perder ele, se acontecer, mas felizes porque ele vem fazendo um grande trabalho", observou ele, antes de reconhecer: "Fica difícil segurar um jogador desse nível no Brasil".