capa

Superintendente do Grêmio, Antônio Carlos Verardi morre aos 84 anos

Funcionário mais antigo do clube, ele começou a trabalhar no Tricolor em 1965

Por
Correio do Povo

Funcionário mais antigo do clube, "Seu Verardi", viveu os principais momentos da história do Grêmio

publicidade

Morreu nesta quarta-feira um dos principais nomes da história do Grêmio. Antônio Carlos Verardi, 84 anos, funcionário mais antigo do clube, carinhosamente chamado de Seu Verardi, o gremista de corpo e alma dedicou 54 anos ao Tricolor. As causas do óbito não foram confirmadas pela família, mas ele lutava contra um câncer. O velório ocorreu no Saguão do portão A da Arena (Av. Padre Leopoldo Brentano, 110). Às 20h, será feita uma cerimônia de despedida privada, e o corpo de será cremado. O "ídolo dos bastidores" chegou ao Tricolor em 1965, onde trabalhou por 54 anos e participou de todas as conquistas do time, para ajudar a reorganizar a comissão de obras do estádio Olímpico. 



Por trás de todo grande clube existe o trabalho consistente de uma equipe de funcionários. Alguns ficam pouco tempo, outros dedicam grande parte de sua vida. Antônio Carlos Verardi esteve presente em quase todas as glórias e nos momentos mais tristes do Tricolor gaúcho. Nesta manhã, o clube lamentou o falecimento de um dos grandes nomes de seus bastidores, destacando que “adorado por atletas, dirigentes e colegas de trabalho por sua competência, fidalguia e discrição, 'Seu' Verardi criou com o Grêmio uma identificação única, que se mistura com a própria história do Clube”.

O texto destaca que o superintendente desembarcou no saudoso Estádio Olímpico em 1965, aos 31 anos, para assumir a Comissão de Obras trazido pelas mãos do patrono Fernando Kroeff. “Antes disso, já havia atuando pelas categorias de base, mas não vingou como atleta. Um mês depois, a pedido do presidente Mário Antunes da Cunha, aceitou o cargo de Gerente Geral, função que exerceu até 1974. Com nove anos de experiência no cargo, recebeu o desafio de assumir a função de diretor de futebol, quando começou a ter mais contato com o vestiário. De diretor a supervisor, não demorou muito”.

O Grêmio ainda diz que, “com um trabalho sério, sempre voltado para o bem da instituição e dos atletas, Seu Verardi passou a ser reconhecido nacionalmente e virou referência na função para outros clubes brasileiros”. “Em 2005, Verardi se aposentou, mas seguiu se dedicando ao Clube como superintendente de futebol, responsável pela logística do grupo profissional. Foi assim até o final. Enquanto a saúde permitia, chegava cedo para trabalhar no CT Luiz Carvalho sendo um dos últimos a sair. Até mesmo nos dias de folga ou finais de semana, Seu Verardi era encontrado nas dependências do Grêmio, hábito que, certamente, continuará mantendo pela eternidade”.

Depois de a equipe lamentar parte da perda de sua própria história, o presidente gremista, Romildo Bolzan Jr., destacou o papel do amigo na história do Tricolor gaúcho. "Com a morte de Seu Verardi perdemos um prodigioso gremista, que trabalhou pela harmonia e o progresso do Clube. Em mais de meio século de dedicação, viu o Grêmio realizar seus sonhos e transformar-se num dos grandes do futebol mundial. Sua trajetória é estelar e comovente", compartilhou no Twitter.


O ex-dirigente gremista Odorico Roman lembrou que "na dedicatória do seu livro, escreveu palavras que dizem o que ele mesmo era, numa dimensão maior: amigo, grande dirigente, grande gremista, grande campeão". "Seu Verardi é um gigante na história do Grêmio. Um abraço afetuoso aos familiares". compartilhou no Twitter. Já o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Jr., usou as redes sociais para comentar a morte. "Nos deixa hoje o Antônio Carlos Verardi, o funcionário mais antigo do Grêmio Uma de suas grandes frases foi: 'Eu só sou o que sou porque pertenço ao Grêmio'. Nossos sentimentos aos amigos e familiares", escreveu em sua conta no Facebook.


Copa Antônio Carlos Verardi

A Federação Gaúcha de Futebol informou que em homenagem, "um dos mais importantes dirigentes da história do futebol gaúcho", "a Copa do segundo semestre será nomeada como Copa Antônio Carlos Verardi". Em 2018, lançou o livro "Seu Verardi e o Grêmio: Uma história de amor", no qual conta passagens de sua vida pelo Grêmio. No mesmo ano, recebeu das mãos do vice-presidente de futebol Duda Kroeff, juntamente com o presidente Romildo Bolzan Jr, uma placa de homenagem por todo o trabalho desempenhado ao longo de várias décadas.