Guerrero minimiza discussão em treino e revela jogar com infiltração
patrocinado por

Guerrero minimiza discussão em treino e revela jogar com infiltração

Atacante do Flamengo aproveitou entrevista para explicar condição física

AE

Guerrero minimiza discussão em treino e revela jogar com infiltração

publicidade

Depois de um treinamento quente, marcado por discussão acalorada entre os jogadores no Ninho do Urubu, Paolo Guerrero tratou de minimizar nesta quinta-feira qualquer atrito dentro do elenco do Flamengo. Para o atacante, a discussão fez parte dos ajustes do time durante o coletivo comandado pelo técnico Oswaldo de Oliveira.

"Foram só as cobranças que a gente tem. Mas é normal. Estamos falando um pouco mais entre nós e é isso que a gente precisava. Falando de quando temos que avançar, recuar, de quando temos que ter a posse de bola. Não teve nenhuma briga. Os zagueiros estão falando de quando a gente tem que sair e isso é bom. Estamos nos entrosando e vamos melhorando a cada dia", disse Guerrero.

A discussão teve início quando a defesa começou a cobrar melhor posicionamento do meio de campo no coletivo. O zagueiro César Martins elevou o tom das reclamações e o atacante Paulinho não aprovou a atitude do companheiro de time. Alan Patrick, Everton, Márcio Araújo e Samir também entraram na discussão, mas Emerson e o treinador apaziguaram a situação.

Guerrero aproveitou a entrevista para explicar a sua condição física. Muito criticado pela torcida nas últimas rodadas, o atacante revelou que vem jogando com a ajuda de infiltração. Ele atuou nas últimas duas partidas do Flamengo antes de ser desfalque em seis jogos seguidos em razão de uma lesão no tornozelo direito.

"Tive uma lesão muito forte e fiquei três semanas parado, agora estou voltando. Ainda tenho um pouco de dor, o que me impede de fazer alguns movimentos. Mas os médicos dizem que isso vai passando conforme vou jogando. Ontem (quarta-feira) tomei infiltração para ver se melhora, hoje (quinta) melhorou muito", revelou o peruano.

"Quero ajudar o Flamengo e tenho me esforçado por isso. Estou recuperando o ritmo e melhorando fisicamente. Que essa dor no pé passe logo", declarou o atacante, antes de rebater as críticas pelo jejum de gols.

"A torcida quer a vitória e não o gol do Guerrero. Estou fazendo meu trabalho. Peço calma, pois temos um bom elenco. A cobrança é para todos nós e é para o Flamengo. Queremos entrar no G4 e vamos atrás desse objetivo", disse Guerrero. O desempenho do atacante vêm preocupando a torcida por causa da expectativa gerada com seu grande início no time carioca. Nas últimas semanas, contudo, seu rendimento baixou. Ele anotou apenas um gol nos últimos nove jogos.

Time 
 
Oswaldo de Oliveira comandou nesta quinta-feira mais um treino do Flamengo visando o confronto diante do Joinville, que acontecerá neste domingo às 11 horas, no estádio do Maracanã, no Rio, pelo Campeonato Brasileiro. A boa notícia ficou por conta do retorno do lateral Jorge, que havia desfalcado a atividade de quarta.

Jorge não participou do treino de quarta-feira por conta de uma pancada recebida no clássico do último domingo diante do Vasco, mas se recuperou bem e foi a campo normalmente nesta quinta. Com isso, deverá ocupar a sua vaga na lateral esquerda neste domingo.

O mesmo, no entanto, não se pode dizer do lateral-direito Pará, que se recupera de uma entorse no joelho direito, e o zagueiro Wallace, que sofreu lesão muscular na coxa esquerda. O primeiro ficou no departamento médico nesta quinta, enquanto o segundo apenas correu em volta do gramado.

Com estas novidades, Oswaldo de Olivera armou o Flamengo no treino coletivo desta quinta-feira com: Daniel; Ayrton, César Martins, Samir e Jorge; Márcio Araújo, Canteros e Alan Patrick; Everton, Paulinho e Guerrero. O goleiro Paulo Victor ficou na academia fazendo fortalecimento muscular.

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895