Direção do Inter comemora aprovação de contas

Direção do Inter comemora aprovação de contas

Queda no déficit passa, no entanto, pelo perdão de uma dívida de Delcir Sonda de R$ 25 milhões

Fabrício Falkowski

Apesar das contas aprovadas, situação financeira do Inter ainda requer cuidados

publicidade

Os atuais dirigentes do Inter comemoram a aprovação, sem ressalvas e por unanimidade, das contas de 2018 em reunião do Conselho Deliberativo (CD) na noite de segunda-feira. Porém, apesar de haver uma clara evolução em relação aos anos imediatamente anteriores, o clube ainda vive uma situação financeira complicada, que requer cuidados. 

Em 2018, o clube mais uma vez apresentou déficit nas contas. Apesar de as receitas terem dado um salto, saindo de R$ 228 milhões em 2017 para R$ 263,7 no ano passado, o déficit foi de R$ 9,5 milhões. Considerando que em 2017 faltaram R$ 62,5 milhões, trata-se de um avanço. 

Porém, algumas outras informações devem ser levadas em consideração. A principal é que o empresário Delcir Sonda perdoou uma dívida de R$ 25 milhões que o Inter tinha com ele nos últimos dias de 2018. Se não houvesse essa injeção extraordinária de recursos, o clube ficava, inclusive, sujeito às punições previstas na Lei do Profut.

Em mensagem ao CD, o presidente Marcelo Medeiros comemorou os resultados. “O ano de 2018 foi de reforço no trabalho de recuperação iniciada por esta gestão, com uma forte reestruturação do clube e constante busca pelas melhores práticas de governança”, disse. 

Para 2019, o Inter planeja faturar R$ 390 milhões, valor irreal se forem considerados os números dos últimos anos. Vender jogadores é uma das formas que o clube pretende alcançar o objetivo. O orçamento de 2019 prevê a arrecadação de R$ 74 milhões desta forma. Ou seja, terá de se desfazer de pelo menos dois titulares na janela do meio do ano para chegar perto deste valor.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895