Galhardo e Boschilia foram preservados por questão física, explica Coudet

Galhardo e Boschilia foram preservados por questão física, explica Coudet

Técnico ressaltou importância de rodar grupo com maratona de jogos pela frente

Correio do Povo

Thiago Galhardo deu uma assistência pouco depois que entrou em campo

A escalação do Inter com cinco alterações na comparação com a equipe que perdeu para o Grêmio na quarta-feira chamou atenção para a estreia do Brasileirão. Em especial as ausências de Thiago Galhardo e Boschilia. De acordo com o técnico Eduardo Coudet, as mudanças não indicam uma alteração na equipe titular e sim, preservação física. 

Segundo o treinador, a dupla era quem corria “mais risco de alguma lesão” após os exames feitos pelo departamento médico do Inter. Por isso a decisão de preservá-los. “Teremos muito jogos e temos um plantel não muito amplo.” 

Coudet frisou a necessidade de rodar o grupo e disse que precisará contar com todos os atletas. “Se está cansado, levanta a mão e entra um companheiro que está em melhor forma. Vamos necessitar de todos.” 

Para Coudet, a vitória sobre o Coritiba foi um remédio para “fechar a ferida” do Gre-Nal. “Somos conscientes que não fizemos as coisas bem na partida passada, mas temos que olhar para frente, tratar de nos recompor”, afirmou. “Acho que tivemos uma grande atitude, sempre tentamos jogar, em um campo que é difícil, diante de um rival que tenta e joga muito bem. Terminamos uma partida muito boa”, avaliou. 


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895