Inter inicia processo de reformulação com dispensas
capa

Inter inicia processo de reformulação com dispensas

Reunião nesta quinta deve sacramentar saída de Rafael Sobis

Por
Fabrício Falkowski

Sobis deve selar hoje a sua saída do Inter


publicidade

O processo de reformulação do elenco colorado, adaptando-o às ideias de futebol defendidas e utilizadas por Eduardo Coudet, começa com as dispensas. O Inter já comunicou a uma série de atletas, inclusive alguns que têm contrato, que eles não serão utilizados em 2020. O processo de saídas é fundamental para a redução da folha salarial, abrindo espaço, tanto no grupo como no orçamento, para a chegada de reforços. 

A lista dos dispensáveis é grande e contempla até alguns ídolos do clube, como Rafael Sobis. O jogador encerrou a sua terceira passagem pelo clube na última rodada do Campeonato Brasileiro. Como seu contrato vale somente até o final de dezembro, para ele não permanecer, basta não renovar. Uma reunião marcada para a tarde de hoje deve sacramentar a saída. 

É o mesmo caso do lateral Bruno. Ele chegou a ser titular em alguns momentos da temporada, mas foi ultrapassado pelo jovem Heitor, que acaba de renovar o contrato até o final de 2022. Bruno, além dos volantes Bruno Silva e Rithely, têm vínculo até o final deste ano e já foram informados sobre o desinteresse do Inter na permanência.

O centroavante Santiago Tréllez, que jogou 13 partidas com a camisa do Inter e não marcou gols, está deixando o clube. Guilherme Parede também saí. Os dirigentes colorados até cogitaram a sua permanências, mas preferiram investir em outro jogador os R$ 2,5 milhões necessários para a compra de mais 25% dos seus direitos federativos. O Coritiba não aceitou prorrogar o empréstimo, mas o Inter conserva outros 25% dos direitos do jogador, adquiridos no início do ano. Assim, poderá lucrar se ele for vendido para outro clube.


Há também um grupo de jogadores que possuem vínculos mais longos, que precisam ser emprestados para deixarem o clube. São os caso, por exemplo, de Wellington Silva, Uendel e Klaus. O atacante tem contrato até o meio do ano, mas não conseguiu, ao longo de dois anos no Inter, provar a sua utilidade. Uendel e Klaus têm acordos até dezembro de 2020, mas terão as saídas facilitadas, desde que apareçam interessados.