Inter vai da promessa de diversão à perda de título em quase três meses com Ramírez

Inter vai da promessa de diversão à perda de título em quase três meses com Ramírez

Clube acumulou tropeços e derrotas inusitadas no Gauchão e na Libertadores

Fabrício Falkowski

Inter vai da promessa de diversão à perda de título em quase três meses com Ramírez

publicidade

Quando chegou, Miguel Ángel Ramírez comparou o Inter a uma Ferrari, disse que encarava o futebol como sendo um “espetáculo” e, para completar, prometeu “diversão” para a torcida. “Apertem os cintos, porque vão desfrutar muito”, disse o técnico, em sua primeira entrevista. Porém, até agora, quase três meses após a chegada, o que houve foram tropeços, derrotas, algumas inusitadas, protestos e quase nenhuma diversão para a torcida. Em Gre-Nais, foram duas derrotas e um empate, culminando com a perda do título gaúcho, domingo, na Arena.

Veja Também

Mesmo assim, os dirigentes sustentam a permanência do técnico, justificando-a como sendo a inauguração de um novo tempo no futebol do Inter. A ideia preponderante, que norteou a contratação de Ramírez, foi transformar o Inter em um time que propõe o jogo. Ou seja, com o técnico espanhol, os colorados deixariam de ser uma equipe reativa. “Queremos o Inter protagonista, crescendo. Não nos agrada jogar 90 minutos por uma bola”, afirmou o presidente Alessandro Barcellos.

Segundo ele, o projeto de Ramírez é o mesmo do clube. Por isso, nenhuma mudança está alinhada no horizonte neste momento. O técnico já está trabalhando para montar a equipe que enfrenta o Always Ready, amanhã, partida que encerra a fase classificatória da Libertadores, a que estreia no Brasileirão contra o Sport Recife, domingo, também Beira-Rio. “Ele (Ramírez) foi contratado para executar uma mudança na forma de jogar”, segue o dirigente.

Ramírez está construindo uma trajetória no futebol. Teve a sua formação na Espanha, trabalhou no Catar e chegou ao Equador, onde destacou-se no Independiente del Valle. Sob o seu comando, o clube conquistou o título da Copa Sul-Americana em 2019. Por isso, despertou o interesse de outros centros. Para aceitar a proposta do Inter, disse não a outros clubes, inclusive brasileiros. Porém, trata-se de um técnico considerado inexperiente, que tenta impor um estilo de futebol muito mais complexo.

Por isso, as dificuldades, inclusive de compreensão por parte dos jogadores. “A gente acompanha a reação do grupo ao novo trabalho. Assistimos à relação e à interação, que melhoram a cada treino. Isso é positivo. Estamos estabelecendo uma nova forma de jogar, e isso não é tão fácil”, afirmou no domingo o presidente Alessandro Barcellos.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895