Odair quer Inter com “ansiedade boa” antes da final da Copa do Brasil
capa

Odair quer Inter com “ansiedade boa” antes da final da Copa do Brasil

Técnico valoriza experiência dos jogadores, “centrados e focados” na sequência de jogos

Por
Correio do Povo

Técnico Odair Hellmann fez diversos elogios ao grupo do Inter após vitória

publicidade

O técnico Odair Hellmann fez questão de elogiar seu grupo neste sábado, após a vitória sobre o São Paulo, por 1 a 0, no que foi o último jogo antes do início das finais da Copa do Brasil, diante do Athletico-PR. Para o treinador, os jogadores se mantêm “centrados e focados”, o que será importante para a decisão. 

“Estamos na parte de cima do Campeonato Brasileiro e mesmo quando se repete essa situação dos jogos, o mental pode fugir às vezes”, observou ele, comentando sobre a sequência de jogos em diferentes competições. “Foi isso que fiz hoje no fim do jogo, valorizando eles à situação. Não ganhamos nada. Para que a gente possa conquistar o troféu, a gente tem que continuar assim nesses dois jogos finais e 20%, 30% mais”, ressaltou.  

E não apenas a parte tática será fundamental nos dois jogos contra o Athletico, pontuou Odair. “O equilíbrio emocional e a experiência podem fazer a diferença. Nosso grupo é experiente. São jogadores que já passaram por vários momentos na carreira. O que a gente precisa é ter a ansiedade, mas não pode travar o músculo e a tomada de decisão”, disse.

O técnico salientou que o primeiro confronto não irá decidir nada e citou como exemplos a própria classificação do rival para a final, assim como a virada do Inter sobre o Palmeiras, nas quartas da Copa do Brasil. “Vamos tentar tirar as possibilidades do Athletico lá”, afirmou. “Temos que fazer um jogo de alto nível de concentração nos detalhes. Os jogadores estão preparados para isso.”

Sobre a vitória sobre o São Paulo neste sábado, o treinador reconheceu a dificuldade no começo da partida e atribuiu a mudança da equipe a uma alteração na parte tática, liberando Nonato para a criação, recuando Bruno Silva e Patrick. “E aí a equipe se encontrou melhor taticamente.”