Liverpool goleia o Arsenal e não deixa o Chelsea disparar na liderança do Inglês

Liverpool goleia o Arsenal e não deixa o Chelsea disparar na liderança do Inglês

A vitória fez com que os Reds ganhassem duas posições na tabela de classificação e chegasse na vice-liderança

AE

Liverpool vinha de derrota para o West Ham

publicidade

O Liverpool não se abateu pela derrota frente ao West Ham e se reabilitou com estilo ao quebrar a boa sequência do Arsenal com uma vitória arrasadora por 4 a 0 na tarde deste sábado, no Anfield, pela 12ª rodada do Campeonato Inglês. De quebra, não deixou o Chelsea disparar ainda mais na liderança.

A vitória fez com que o Liverpool ganhasse duas posições na tabela de classificação e chegasse na vice-liderança, com 25 pontos, quatro a menos do que o Chelsea. O Arsenal, por sua vez, viu cair a sequência de três triunfos consecutivos e continuou estacionado na quinta colocação, com 20, fora da zona de classificação para a próxima edição da Liga dos Campeões.

Chamou a atenção a discussão entre os técnicos Jürgen Klopp e Mikael Artena nos minutos finais do primeiro tempo. O alemão não gostou de uma manifestação do técnico do rival e foi tirar satisfação. A confusão foi rapidamente contida pelo quarto árbitro.

Veja Também

O primeiro tempo começou equilibrado com as duas equipes buscando o gol. O Arsenal chegou a marcar, mas o lance acabou anulado pela arbitragem que assinalou impedimento de Lacazette. No entanto, o Liverpool acordou e começou a dominar o rival. Aos 38 minutos, Arnold lançou Mané, que aproveitou a desatenção da defesa adversária para fazer 1 a 0.

No segundo tempo, o domínio foi total do Liverpool. Logo aos seis minutos, Nuno Tavares falhou feio, Diogo Jota ficou com a bola, fez o que quis na defesa do Arsenal e rolou para Ramsdale ampliar. A pressão continuou avassaladora. O time visitante não conseguia respirar e levou o terceiro de Salah. Ele recebeu de Mané para fazer 3 a 0.

E virou goleada! O Liverpool não tirou o pé do acelerador e foi fechar a conta aos 31 minutos. Mané recebeu de Henderson e acionou Salah pela direita. O atacante deixou com Arnold, que cruzou na medida para Minamino decretar a vitória do time mandante.

Líder

O Chelsea abriu a 12ª rodada com uma vitória por 3 a 0 sobre o Leicester, no King Power Stadium. No retorno após o período sem partidas, o time comandado por Thomas Tuchel mostrou a mesma consistência de antes e chegou ao nono jogo seguido sem derrota na temporada.

Na liga nacional, são seis jogos de invencibilidade, com um empate e cinco vitórias, campanha que mantém a equipe londrina tranquila na liderança, com 29 pontos. Já o Leicester continua oscilando bastante, atualmente com 15 pontos.

O Chelsea jogou com intensidade no campo de ataque desde os primeiros momentos da partida, tanto que Chilwell acertou uma bola na trave logos aos três minutos. Pouco tempo depois, aos 13, o time londrino abriu o placar explorando uma das principais fragilidades da defesa do Leicester: a bola área. Assim, uma boa cobrança de escanteio de Chilwell terminou com o zagueiro Rüdiger desviando de cabeça para a rede, sem chances para Schmeichel.

As falhas defensivas do time da casa não se limitaram às bolas alçadas pelo adversário. Também havia dificuldade na marcação no meio de campo, comandado por jogadas do ítalo-brasileiro Jorginho, ponto de equilíbrio do Chelsea. Com o domínio no setor diante das complicações vividas pelo adversário, Kanté, outro meio-campista em dia inspirado, teve todo o espaço necessário para avançar tranquilamente até a meia-lua, de onde acertou um chute firme de perna esquerda para marcar um belo gol no King Power Stadium, aos 27 minutos.

No segundo tempo, o Chelsea não se acomodou e buscou o terceiro gol. Em alguns momentos, deu espaços ao Leicester, como no lance em que Amartey chutou de fora da área e obrigou Mendy a fazer uma boa defesa, mas a ameaça adversária não foi muito longe. O objetivo londrino foi alcançado aos 26 minutos, quando Ziyech pedalou dentro da área, tirou a marcação do lance e tocou para Pulisic ampliar a vantagem. Os dois protagonistas do gol saíram do banco de reservas, substituindo Havertz e Mount.

O time visitante seguiu criando uma série de chances, mas não voltou a marcar. De qualquer forma, a torcida ficou mais do que satisfeita, principalmente com algumas atuações específicas, como a de Jorginho, que recebeu aplausos e teve o nome cantando ao ser substituído.

A crise vivida pelo Manchester United ganhou um novo episódio desagradável neste sábado, em uma partida encerrada com protagonismo brasileiro no Vicarage Road. O jovem atacante João Pedro, revelado pelo Fluminense, saiu do banco de reservas e marcou o terceiro gol do Watford na goleada por 4 a 1 aplicada sobre o time comandado por Solskjaer, agora mais pressionado do que nunca.

A vitória deixou o Watford com 13 pontos, um pouco mais aliviado na briga contra o rebaixamento. A situação do algoz, integrante da parte inferior da tabela, é mais um fator que potencializa a má fase vivida pelo United, com 17 pontos.

O início da partida já rendeu boas emoções aos torcedores, com um pênalti marcado a favor do Watford logo aos cinco minutos. De Gea defendeu a cobrança de Sarr e Femenía fez no rebote, mas o VAR anulou a cobrança após constatar que o meia espanhol invadiu a área. Na segunda tentativa, De Gea defendeu de novo, dessa vez sem entregar a sobra.

Como de costume, o United encontrou dificuldade para achar espaços na defesa adversária, apostando em raras oportunidades nas quais a bola chegava em Cristiano Ronaldo, bem marcado pelo Watford, que abriu o placar aos 27 minutos, com um gol marcado por King. A partir daí, o jogo ficou aberto, tanto que cada goleiro fez um boa defesa antes de Sarr ampliar para o time da casa, aos 43, ao acertar um chute cruzado.

A esperança da virada do United foi acendida aos quatro minutos do segundo tempo, quando Ronaldo escorou para Van de Beek completar para o gol, diminuindo a diferença no placar. Com muita dedicação, o craque português conseguiu protagonizar um momento de pressão durante os dez primeiros minutos, com boas investidas, mas viu a situação se complicar aos 24, momento em que Maguire foi expulso.

Mesmo com um a menos do lado visitante, a bola continuou chegando aos pés de Cristiano Ronaldo, que criou outras boas chances e até balançou a rede, mas estava impedido. O tempo foi passando e o cansaço começou a bater. Quem não estava nada cansado era João Pedro, que entrou aos 31 minutos no lugar de Louza, e acabou com a expectativa da virada ao receber na área e chutar no canto de De Gea para marcar o terceiro, aos 46. Quatro minutos depois, Dennis fechou o placar.

A derrota do United foi bem aproveitada pelo Wolverhampton, que venceu o West Ham por 1 a 0, com gol marcado por Jimenez, e subiu para 19 pontos, ultrapassando o time de Manchester. Já o West Ham estacionou nos 23 pontos.

Cheia de gols, a rodada da manhã deste sábado teve dois incomuns empates por 3 a 3, um entre Burnley e Crystal Palace e outro entre Newcastle e Brentford. Além disso, o Aston Villa venceu o Brighton por 2 a 0 e o Norwich bateu o Southampton por 2 a 1.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895