Neymar, Coutinho e Willian em pré-lista da Bola de Ouro
capa

Neymar, Coutinho e Willian em pré-lista da Bola de Ouro

Também consta nesta lista o jogador peruano Paolo Guerrero, que joga no Flamengo

Por
AFP

Neymar, Coutinho e Willian em pré-lista da Bola de Ouro

publicidade

Três brasileiros integram uma pré-lista de indicados ao Prêmio Bola de Ouro vazada nesta sexta-feira pela Gazzetta dello Sport e outros jornais europeus: além de Neymar, os meias Willian e Phillippe Coutinho também concorrem ao troféu. Também consta nesta lista um jogador que atua no futebol brasileiro, o peruano Paolo Guerrero, do Flamengo. 

No ano passado, Neymar foi o representante do país entre os 23 indicados oficialmente pela entidade, em outubro do ano passado. Ele acabou ficando em sétimo lugar na disputa vencida pelo português Cristiano Ronaldo, que garantiu o terceiro troféu (2008, 2013 e 2014). A melhor colocação de Neymar foi em 2013, quando terminou em quinto.

Desta vez, o grande favorito é novamente Lionel Messi, companheiro de equipe do brasileiro no Barcelona. O craque argentino é o mais premiado da história, por ter levado a Bola de Ouro quatro vezes seguidas, de 2009 a 2012. Barça e Real dominam indicações. A principal ausência destacada pela Gazzetta dello Sport é o goleiro veterano Gianluigi Buffon, que continua jogando em altíssimo nível aos 37 anos.

Buffon foi um dos grandes destaques da temporada histórica da Juventus, que conquistou o quarto "Scudetto" consecutivo, a Copa da Itália, e chegou à final da Liga dos Campeões, perdendo apenas para o Barça (3-1), em Berlim. O goleirão foi ignorado "Velha Senhora" emplacou nada menos de seis jogadores na pré-lista da Bola de Ouro, embora três tenham deixado o clube na última janela de transferências.

São eles o também veterano Andrea Pirlo (hoje no New York City), o chileno Arturo Vidal (Bayern de Munique) e o argentino Carlos Tévez (Boca Juniors). O francês Paul Pogba, o espanhol Álvaro Morata e o zagueiro italiano Giorgio Chiellini continuam em Turim.

Os dois clubes com o maior número de representantes são os "gigantes" espanhóis Barcelona e Real Madrid, com sete cada. 

O clube catalão, que conquistou a "Tríplice Coroa" (Liga dos Campeões, Copa do Rei e Campeonato Espanhol), tem, além de Messi e Neymar, o outro integrante do trio "MSN", o uruguaio Luis Suárez. Os três são fortes candidatos a finalistas (o último corte deixa a disputa entre três indicados). Também aparecem na lista o veterano espanhol Andrés Iniesta, o argentino Javier Mascherano, o croata Ivan Rakitic e o chileno Claudio Bravo.

Já o Real passou em branco em 2015, mas também tem sete indicados: CR7, que deve ter dificuldades para manter o troféu, o galês Gareth Bale, o francês Karim Benzema, o croata Luka Modric, o alemão Toni Kroos, o colombiano James Rodríguez e o espanhol Sergio Ramos.

Chile premiado pela Copa América

O país com o maior contingente é a Argentina, com Messi, Agüero, Mascherano, Pastore, Tévez e Otamendi. Com três indicados, o Brasil em o mesmo número da campeã mundial Alemanha, mas é superado, além dos "Hermanos", por Colômbia (4), França (4), Espanha (5) e Chile (5).

Turbinada pelo título da Copa América, a "Roja" chilena emplacou até o ex-gremista Eduardo Vargas, que não tem se destacado com seus clubes.

A Austrália, campeão asiática, também ganhou um representante pouco badalado, Massimo Luongo, que foi companheiro de equipe de Vargas no Queens Park Rangers, da segunda divisão inglesa (hoje, o atacante chileno está no Hoffenheim).

Além de Buffon, os principais ausentes da lista são Claudio Marchisio, outro destaque da Juve, o francês Blaise Matuiti, motorzinho do meio de campo do Paris Saint-Germain, ou o gabonês Aubameyang, autor de dez gols em nove partidas nesta temporada com o Borussia Dortmund.

• Pré-lista de 59 jogadores indicados para o Prêmio Bola de Ouro 

Alemanha:
Toni Kroos (Real Madrid) Thomas Muller (Bayern) Manuel Neuer (Bayern) 
Argentina: Sergio Agüero (Manchester City) Javier Mascherano (FC Barcelona) Leo Messi (Barcelona) Nicolás Otamendi (Valencia-Man City) Javier Pastore (PSG) Carlos Tévez (Juventus-Boca Juniors)
Austrália: Massimo Luongo (QPR) - Áustria: David Alaba (Bayern)
Bélgica: Thibaut Courtois (Chelsea) Kevin De Bruyne (Wolfsburg-Man City) Eden Hazard (Chelsea)
Brasil: Philippe Coutinho (Liverpool) Neymar (Barcelona) Willian (Chelsea)
Chile: Claudio Bravo (Barcelona) Gary Medel (Inter) Alexis Sánchez (Arsenal) Eduardo Vargas (QPR-Hoffenheim) Arturo Vidal (Juventus-Bayern)
Colômbia: Carlos Bacca (Sevilla-Milan) Jackson Martinez (Oporto-Atlético Madrid) David Ospina (Arsenal) James Rodríguez (Real Madrid)
Coreia del Sur: Heung-min Son (Leverkusen-Tottenham)
Costa de Marfim: Wilfried Bony (Swansea-Man City) Yaya Touré (Man City)
Croácia: Luka Modric (Real Madrid) Ivan Rakitic (FC Barcelona)
Espanha: Diego Costa (Chelsea) David De Gea (Man United) Andrés Iniesta (Barcelona) Álvaro Morata (Juventus) Sergio Ramos (Real Madrid)
França: Karim Benzema (Real Madrid) Antoine Griezmann (Atl. Madrid) Alexandre Lacazette (Lyon) Paul Pogba
(Juventus)
Pais de Gales: Gareth Bale (Real Madrid)
Gana: Christian Atsu (Everton-Bournemouth) André Ayew (Marsella-Swansea)
Holanda: Memphis Depay (PSV-Man United) Arjen Robben (Bayern)
Inglaterra: Harry Kane (Tottenham) Wayne Rooney (Man Utd)
Italia: Giorgio Chiellini (Juventus) Andrea Pirlo (Juventus - NYC FC)
Japão: Shinji Okazaki (Leicester)
México: Gio Dos Santos (Villarreal-LA Galaxy) Andrés Guardado (PSV)
Peru: Paolo Guerrero (Corinthians)
Polônia: Robert Lewandowski (Bayern)
Portugal: Cristiano Ronaldo (Real Madrid)
Suécia: Zlatan Ibrahimovic (PSG)
Uruguai: Edinson Cavani (PSG) Carlos Sánchez (River Plate) Luis Suárez (Barcelona)