Ausência da Rússia nas Olimpíadas de Inverno 2018 provocaria "graves danos ao movimento olímpico"
capa

Ausência da Rússia nas Olimpíadas de Inverno 2018 provocaria "graves danos ao movimento olímpico"

Em artigo, porta-voz de Kremlin disse que COI avalia não tocar huno russo e descartar atletas da abertura do evento

Por
AFP

O escândalo provocou o veto da Rússia em grandes competições internacionais

publicidade

Porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov avaliou nesta terça-feira que proibir atletas russos de participarem dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang 2018 provocaria "graves danos ao movimento olímpico". "Não queremos evocar o pior cenário: a ausência da nossa seleção nos Jogos Olímpicos. Isto provocaria graves danos com o movimento olímpico", declarou aos jornalistas.

Peskov respondeu ao artigo publicado pelo jornal New York Times, que afirmou citando fontes anônimas que o Comitê Olímpico Internacional (COI) avaliava não tocar o hino russo e descartar atletas da cerimônia de abertura dos Jogos. As decisões se baseariam no escândalo de doping institucionalizado que o país atravessa. "Nossos responsáveis esportivos estão em diálogo constante com o COI. Esperamos que esta interação continue e que todas as questões sejam resolvidas", acrescentou o porta-voz do Kremlin.

O escândalo, revelado pela emissora alemã ARD em 2014 e logo confirmado pelas investigações da Agência Mundial Antidoping (Wada) e pelo Ministério Público francês em outubro de 2015, provocou o veto da Rússia em grandes competições internacionais. O COI vai tomar uma decisão sobre a participação dos atletas russos em Pyeongchang em dezembro.