Red Bull Bragantino derrota o Ceará em casa e deixa a zona de rebaixamento

Red Bull Bragantino derrota o Ceará em casa e deixa a zona de rebaixamento

Equipe de São Paulo fechou placar em 4 a 2

AE

Time fez sua apresentação no campeonato

publicidade

Na sua melhor apresentação no Campeonato Brasileiro, o Red Bull Bragantino derrotou o Ceará por 4 a 2, neste sábado, no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP), pela 11.ª rodada. O resultado deixou o time paulista com 10 pontos, provisoriamente em 16.º lugar e fora da zona de rebaixamento. O cearense segue com 13 pontos, em 10º. O jogo começou em alta velocidade. Armado no esquema 4-3-3, o time paulista se posicionou bem no meio de campo para explorar a velocidade de seus atacantes para os contra-ataques.

O Ceará, montado no 4-5-1, tentava valorizar o domínio de bola. O primeiro gol saiu logo aos quatro minutos. Após escanteio, Claudinho levantou na segunda trave e Ligger cabeceou para o outro lado. O zagueiro Léo Ortiz entrou sozinho e bateu de virada. Os cearenses reclamaram de falta de Ligger, mas o VAR confirmou o gol.

O Ceará conseguiu empatar aos 18 minutos. Bruno Pacheco desceu pelo lado esquerdo e cruzou alto. Na linha de fundo, Samuel Xavier evitou a saída de bola e tocou para trás para o chute forte e alto de Vinícius.

Mas o Red Bull Bragantino continuava jogando em alta velocidade. Artur puxou o contra-ataque pelo lado direito e na sua jogada característica entrou em diagonal e bateu de esquerda. O goleiro Fernando Prass rebateu e Bruno Tubarão chegou sozinho para completar com a chapa do pé, fazendo 2 a 1 aos 22 minutos.

O Ceará não esmoreceu e tentou impor o seu jogo. Aos 30 minutos quase empatou em uma falta bem cobrada por Vinícius, que obrigou o goleiro Júlio César a saltar e espalmar para escanteio. Mas quem não faz, leva mesmo. O ditado funcionou aos 44, em outro contragolpe paulista. Bruno Tubarão puxou o ataque pelo lado esquerdo, entrou na área e cruzou rasteiro. O oportunista Alerrando se antecipou à marcação e desviou para as redes.

Nada mudou no segundo tempo. O Ceará tentava forçar no ataque, porém sofria com os contra-ataques. Aos 15 minutos, quase o time da casa ampliou. Alerrando roubou a bola de Luiz Otávio, desceu rapidamente e bateu cruzado. A bola bateu no pé da trave direita de Fernando Prass.

Nova roubada de bola no meio de campo e daí saiu o quarto gol aos 16 minutos. Lucas Evangelista tocou para Alerrando, que devolveu de letra. Evangelista invadiu a área e deu um toque por cobertura em cima de Fernando Prass: 4 a 1. O técnico Guto Ferreira ainda tentou dar mais fôlego ao Ceará utilizando todas as suas cinco substituições, mas não conseguiu diminuir o placar.

Criou duas boas chances, mas que foram salvas por Júlio César. O Red Bull Bragantino tirou o pé, caso contrário poderia ter marcado mais gols. E sofreu mais um aos 43 minutos, quando Wescley desceu pelo lado esquerdo e bateu cruzado e no alto, acertando o ângulo e diminuindo o placar para 4 a 2.

O Red Bull Bragantino vai ter a semana toda para se preparar visando o jogo contra o Vasco, no próximo dia 27, domingo, no estádio de São Januário, no Rio de Janeiro, pela 12.ª rodada.

Pelo Brasileirão, o Ceará só vai jogar também no outro domingo, em casa, contra o Goiás. Antes disso, nesta quarta-feira, às 21h30, receberá na Arena Castelão, em Fortaleza, o Brusque em jogo de volta da quarta fase da Copa do Brasil. Como venceu fora por 2 a 0, pode perder até por um gol de diferença para avançar às oitavas de final.

Campeonato Brasileiro - 11ª rodada

Red Bull Bragantino: Júlio César; Raul, Léo Ortiz, Ligger e Weverson; Ricardo Ryller (Aderlan), Lucas Evangelista (Matheus Jesus) e Bruno Tubarão (Luan Cândido); Artur, Alerrandro (Hurtado) e Claudinho (Luis Phelipe).
Técnico: Maurício Barbieri.

Ceará: Fernando Prass; Samuel Xavier (Eduardo), Gabriel Lacerda, Luiz Otávio e Bruno Pacheco; Charles, Marthã (Willian Oliveira), Lima (Fernando Sobral), Vinícius (Wescley) e Leandro Carvalho (Felipe Baxola); Cléber.
Técnico: Guto Ferreira.

Gols: Léo Ortiz, aos 4, Vinícius, aos 18, Bruno Tubarão, aos 22, e Alerrando, aos 44 minutos do primeiro tempo; Lucas Evangelista, aos 16, e Wescley, aos 43.
Cartões amarelos: Ricardo Ryller, Lucas Evangelista, Luan Cândido e Claudinho (Red Bull Bragantino); Luiz Otávio, Charles e Marthã (Ceará)
Árbitro: Jefferson Ferreira de Moraes (GO)
Local: Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP)


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895