Seleção inglesa pode deixar campo de jogo em caso de atos racistas
capa

Seleção inglesa pode deixar campo de jogo em caso de atos racistas

Jogadores ingleses foram alvos de insultos racistas durante a vitória por 5 a 1 contra Montenegro

Por
AFP

Inglaterra enfrentará República Tcheca e Bulgária pelas eliminatórias para a Eurocopa-2020

publicidade

Os jogadores da seleção inglesa de futebol estão preparados para abandonar o campo de jogo nas eliminatórias para a Eurocopa-2020 caso sejam identificados atos racistas de torcedores durante as partidas contra República Tcheca, nesta sexta-feira, ou Bulgária, na próxima terça-feira. O duelo contra a Bulgária é visto como especialmente de risco pelo fato de ser disputado em um estádio Vasil Levski de Sófia parcialmente fechado devido a insultos racistas proferidos pelos torcedores locais contra a seleção de Kosovo, em junho pelas mesmas eliminatórias.

Os jogadores ingleses foram alvos de insultos racistas durante a vitória por 5 a 1 contra Montenegro. "Tivemos várias reuniões (sobre esse assunto) desde que chegamos (à concentração), Harry Kane (capitão) falou que se algo assim acontecer conversaremos com o jogador alvo e, se ele não gostar, deixaremos o campo juntos", explicou em coletiva de imprensa Tammy Abraham, atacante do Chelsea.

O técnico da Inglaterra, Gareth Southgate havia dito, porém, que a equipe respeitaria o protocolo de três etapas da Uefa em caso de incidente deste tipo. A primeira etapa é avisar ao árbitro em caso de incidente racista para que um alerta seja dado ao público. Caso os insultos continuem, o árbitro deverá interromper a partida momentaneamente e, se a retomada da partida em condições normais não for possível, a partida poderá ser suspensa.

"Temos que nos comportar como atletas profissionais. Temos a obrigação de seguir o protocolo (...), mas em casos extremos talvez outras ações sejam necessárias", analisou o lateral do Liverpool Trent Alexander-Arnold. Tanny Abraham foi alvo de mensagens racistas no Twitter após perder um pênalti pelo Chelsea contra o Liverpool durante a final da Supercopa da Europa, em agosto. j