Cléber Xavier cita Everton como exemplo de jogador para a renovação da Seleção
capa

Cléber Xavier cita Everton como exemplo de jogador para a renovação da Seleção

Auxiliar técnico de Tite revelou que atletas da lista de suplentes da Copa poderão ser chamados

Por
Correio do Povo e Rádio Guaíba

Tite e Cléber Xavier irão utilizar os seis amistosos para reformular grupo da Seleção para a Copa América

publicidade

O auxiliar de Tite, Cléber Xavier, citou em entrevista para a Rádio Guaíba que o atacante Everton, do Grêmio, é o exemplo de jogador que se enquadra no novo momento que vive a Seleção Brasileira depois da Copa do Mundo da Rússia. Segundo o profissional com passagens pelo Grêmio e pelo Inter, outro fator que irá influenciar nas convocações será a busca por atletas dentro das características que a comissão técnica julga como necessárias para formar um grupo para conquistar a Copa América do Brasil 2019.

“O nosso radar continua com os jogadores que foram convocados para a Copa, os 12 atletas que não foram para o Mundial, mas estavam próximos (foram incluídos na lista de suplentes) e aqueles que tem surgido em grandes campeonatos e feito um grande ano. Que é o caso do Everton”, afirmou Cléber Xavier. “Ele tem feito um ano maravilhoso. Evoluiu dentro dos processos. Era um jogador que entrava e hoje é um titular importante dentro do Grêmio. Goleador, melhor jogador do Campeonato Gaúcho e sempre mantendo uma média alta de atuações. Com velocidade, com jogada pessoal e com finalização. Esperamos que ele faça o mesmo que faz no Grêmio. Convocamos pelas características dentro daquilo que a gente necessita e pelo que apresenta nos clubes”, revelou o auxiliar.

A intenção de Tite e da Confederação Brasileira de Futebol é usar os seis amistosos até novembro para formar um novo grupo para o período de quatro anos até o Mundial do Catar, em 2022. Como pretende convocar atletas que estavam na lista de 35 da Copa, Luan e Maicon, do Grêmio, também têm grandes chances.

“Para voltar ao Mundial, enquanto comissão técnica, temos que trabalhar para ter desempenho primeiro, que é o que buscamos, e os resultados acontecerem para chegarmos até lá. A crítica sendo com debate e análise mais forte ajuda no nosso crescimento. Temos a consciência dos erros e dos acertos. O trabalho recomeça dentro de um projeto e planificação. O primeiro momento para dar oportunidade para novos atletas ou para aqueles que fizeram bom trabalho, mas não puderam estar no Mundial. Também dar oportunidade para aqueles que foram e não puderam jogar”, afirmou Xavier.

O auxiliar ainda falou sobre a avaliação feita pela comissão técnica após a desclassificação do Brasil na Copa da Rússia. “No descanso, após a Copa, fizemos uma análise da participação de cada um. Na CBF, fizemos uma análise do grupo de trabalho, da comissão técnica, do grupo de apoio e dos atletas para dar continuidade ao processo. Tem que ser feito isso e faz parte do trabalho”, declarou o auxiliar.

O primeiro jogo será contra os Estados Unidos no dia 7 de setembro, em Nova Jersey, a partir das 21h05min (horário de Brasília). Quatro dias depois, a Seleção enfrenta p El Salvador em Washington, às 21h30min (de Brasília).