Tite exalta grande jogo e se rende a Messi: "É um extraterrestre"
capa

Tite exalta grande jogo e se rende a Messi: "É um extraterrestre"

Técnico da Seleção declarou que setor defensivo conseguiu diminuir as ações do atacante argentino

Por
Correio do Povo

Após o fim do jogo, Tite elogiou o atacante argentino Lionel Messi

publicidade

Em entrevista coletiva após o jogo, o técnico Tite falou sobre a grande partida no Mineirão, na noite desta terça-feira, e elogiou Lionel Messi, neutralizado pela defesa brasileira no jogo. A vitória sobre a Argentina por 2 a 0 valeu ao Brasil a passagem para a final da Copa América 2019, no domingo, no Maracanã. 

Não se restringindo apenas às ações da sua equipe, Tite falou que o duelo no Mineirão foi um grande jogo, com duas equipes com grandes recursos técnicos. E não poupou elogios a Lionel Messi. "É um extraterrestre. Excepcional em todas as ações, tanto com a bola quanto sem", destacou. 

Para parar o atacante, falou sobre a necessidade em diminuir as ações, já que, na avaliação do treinador, é impossível neutralizar Messi. Entre as decisões tomadas por Tite para isso, falou no recuo de Firmino mais próximo dos meias, recompondo sem a bola. 

Elogiou o autor de um dos gols, Gabriel Jesus, que não marcava há quase 700 minutos pela Seleção. Disse que o atacante irá aperfeiçoar as finalizações, e falou sobre a necessidade ter ter tranquilidade para marcar. "Essa capacidade de persistência dele é uma marca muito forte, que acaba cativando quem trabalha com ele", pontuou.

Destacou a atuação de outro grande nome da partida, o lateral Daniel Alves, responsável pela construção da jogada do primeiro gol. Falou sobre os cuidados na recuperação, e a capacidade física e técnica demonstrada na partida contra a Argentina. "Fico feliz pela naturalidade que ele tem em campo", elogiou.

Questionado sobre a declaração do técnico argentino Lionel Scaloni, de que a Argentina foi superior no jogo, Tite destacou o equilíbrio, e afirmou que, em jogo grande, é impossível dominar o tempo inteiro, frisando a necessidade de neutralizar ações. "É inconcebível achar que a equipe vai ser superior o tempo todo", frisou.