Vacina da Covid-19 não será obrigatória para atletas dos Jogos de Tóquio, diz presidente do COI
patrocinado por

Vacina da Covid-19 não será obrigatória para atletas dos Jogos de Tóquio, diz presidente do COI

Segundo Thomas Bach, exigir vacinas seria ir "longe demais"

AFP

Thomas Bach revelou que COI não irá exigir vacina para os jogos de Tóquio

publicidade

A vacina contra o coronavírus não será obrigatória para os atletas dos Jogos Olímpicos de Tóquio, adiados para o ano que vem devido à pandemia, declarou nesta terça-feira o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach. Exigir vacinas seria "ir longe demais", julgou Bach, em visita a Tóquio para tentar convencer a população japonesa e os patrocinadores dos Jogos de 2020 que o evento poderia ser disputado em julho com espectadores, apesar do recente ressurgimento das infecções.

Bach enfatizou nesta terça-feira na Vila Olímpica o compromisso do COI em realizar Jogos seguros, destacando que o comitê de organização tomaria "todas as medidas de precaução necessárias para que os atletas possam ficar relaxados e sentir-se seguros". Mas confirmou que embora o COI incentive os atletas a se vacinarem antes de participar dos Jogos, não haverá "nenhuma obrigação".

"Há várias questões a serem consideradas. Trata-se de uma questão de saúde privada. É também uma questão de estado de saúde de cada um. É uma questão de disponibilidade", declarou Bach.

No entanto, disse que o COI "fará um apelo" aos atletas e ao restante dos participantes para que se vacinem, qualificando este ato como um "sinal de respeito" em relação aos outros atletas e organizadores japoneses.

Os responsáveis por Tóquio-2020 afirmam que planejam várias medidas contra o vírus para permitir que os Jogos aconteçam, mesmo sem vacina, mas Bach declarou que o COI tentará ajudar os atletas a se vacinarem caso as vacinas estejam disponíveis e aprovadas.

O ministro australiano da Saúde, Greg Hunt, declarou nesta terça-feira ter recebido a garantia dos líderes do COI de que "tomaram medidas para garantir ter vacinas para todos os atletas e líderes do mundo inteiro".

"Portanto, esperamos que haja vacinas para os atletas e os líderes de todas as nações e que estejam prontas antes dos Jogos Olímpicos".

Os Jogos estão programados para 23 de julho a 8 de agosto e os Paralímpicos para 24 de agosto a 5 de setembro.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895