Famílias começam a ser retiradas de casa em função da cheia da Lagoa Mirim

Famílias começam a ser retiradas de casa em função da cheia da Lagoa Mirim

A ação em preventiva. No início da manhã a Lagoa estava com 4,70m

Angélica Silveira

A cheia da Lagoa Mirim causa alagamentos na região do Porto em Santa Vitória do Palmar

publicidade

A preocupação em Santa Vitória do Palmar é a cheia da Lagoa Mirim, em função do excesso de chuva na região durante o mês de maio. Até esta quinta-feira foram 720 milímetros,( sendo quase de sua totalidade em quatro dias, de 6 a 10 deste mês) mais que o dobro do considerado normal para o período na cidade que é de 300milímetros.

Com isto a Lagoa Mirim cresceu e chegou a 4,7m nesta quinta-feira. A cota de alerta é de 4,25m, de inundação 4,75m e de alagamentos é acima de 4,90m. Com isto , a Prefeitura começou a fazer a retirada as pessoas que moram em áreas ribeirinhas de forma preventiva. Até a tarde de ontem duas famílias deixaram suas residências com seus pertences e foram para casa de familiares. Outra moradora das primeiras casas foi encaminhada a um hotel. As autoridades pedem que se evite visitar o Porto devido aos alagamentos.

Uma operação foi criada para intensificar o escoamento da água. Uma estrutura com maquinário e profissionais foi até o local, com objetivo de criar barreiras de contenção e realizar a retirada de mais moradores que se sintam em perigo. O acesso ao trapiche está bloqueado. A Lagoa Mirim escoa para o Canal São Gonçalo e posteriormente para a Lagoa dos Patos e para o Oceano. Os dois mananciais localizados em Pelotas estão estáveis mais cheios nesta quinta-feira.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895