Abandono de animais em Santa Cruz do Sul aumenta no período de férias

Abandono de animais em Santa Cruz do Sul aumenta no período de férias

O número de adoções também cai drasticamente no verão, alerta secretário de Meio Ambiente

Otto Tesche

Animais de estimação são abandonados no verão

O período de férias no verão aumenta o número de casos de abandono de animais nas ruas e a redução no interesse pelas adotações  em Santa Cruz do Sul. O Canil Municipal apresentou superlotação na semana passada, com 65 animais, 20 a mais do que sua capacidade. A situação amenizou com a realização de uma feira pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Saneamento e Sustentabilidade e a ONG Protetores de Santa Cruz do Sul, com a adoção de 15 animais e a ida de um para lar temporário. Com isso, o espaço ganhou um novo fôlego para poder atender a população de cães e gatos.

Todos os animais adultos disponíveis para adoção estão castrados, vacinados, microchipados e testados para leishmaniose. Os filhotes têm a castração gratuita garantida. O secretário de Meio Ambiente, Saneamento e Sustentabilidade, Raul Fritsch, explica que durante o verão crescem os casos de abandono de animais, especialmente nos meses de janeiro e fevereiro. “As pessoas saem de férias, não sabem com quem deixar seus animais e acabam os abandonando.” Ele ressalta que é importante que a comunidade denuncie os responsáveis, para que sejam punidos administrativamente. Desde o ano passado, a Lei do Bem-Estar Animal prevê multas para quem maltratar ou abandonar animais no município, que variam entre R$ 858,00 e R$ 4.004,00.

O secretário destaca que nesta época o número de adoções também cai drasticamente, o que reforça a necessidade da promoção de feiras e de campanhas de conscientização em relação ao assunto. O secretário ainda afirma que a secretaria trabalha para diminuir o número de animais nas ruas. Somente em 2018, foram realizadas 1 mil castrações, que representam aproximadamente 12 mil animais que deixaram de nascer na cidade. A adoção dos chamados animais comunitários, que igualmente recebem suporte do município, também é considerada estratégica para acabar com a superlotação no canil e em outros abrigos.


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895