Após nova subida, nível do Guaíba deve demorar a baixar em Porto Alegre, diz especialista da Ufrgs

Após nova subida, nível do Guaíba deve demorar a baixar em Porto Alegre, diz especialista da Ufrgs

Alagamentos de quinta-feira foram provocados pela forte chuva, e não pela cheia do Guaíba, conforme estudioso

Correio do Povo

Guaíba deve ter nova subida

publicidade

A previsão de mais chuva e a existência de um vento Sul no Rio Grande do Sul a partir desta sexta-feira provocarão uma nova subida de 20 a 40 cm no Guaíba nos próximos dias, afirmou hoje o professor do Instituto de Pesquisas Hidráulicas (IPH) da Ufrgs, Fernando Fan, em entrevista ao programa Acontecendo, da Rádio Guaíba. Por conta do aumento do nível e das condições meteorológicas, a água deve demorar a baixar.

A situação aumenta o drama dos moradores da cidade, que tentam voltar a algum senso de normalidade após a enchente histórica que acometeu a Capital. De acordo com dados da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema), o Guaíba estava em 3,94 m às 10h. A cota de inundação é de 3 m.

Embora haja uma nova subida do Guaíba, o especialista aponta que ela não superará a marca histórica acima de 5 m. "A gente vai ter uma subida que vai ser mais lenta, mas o Guaíba também será mais demorado para descer”, pontua.

Natureza dos alagamentos de quinta-feira

A cheia não deve ultrapassar os 5 m, pois desta vez, a chuva não impactou com força o rio Taquari, que depois afeta o Guaíba. "Importante dizer que na região de Porto Alegre e outras cidades próximas, o que aconteceu nessa quinta-feira não foi uma inundação causada pelo Guaíba, mas, sim, por muita chuva que caiu na cidade", destaca.

Da quinta para a sexta-feira, Porto Alegre e outros municípios chegaram a registrar mais de 100 mm de chuva, alertou a Defesa Civil Estadual, com base em dados do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) e do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Veja Também


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895