Artistas promovem ato por ocupação de prédio histórico de Caxias do Sul

Artistas promovem ato por ocupação de prédio histórico de Caxias do Sul

Complexo de antiga metalúrgica é tombado e está sem atividades atualmente

Celso Sgorla

O prédio é tombado como patrimônio histórico

publicidade

Artistas, grupos e produtores culturais de Caxias do Sul promoveram um abraço simbólico no complexo da antiga Metalúrgica Abramo Eberle S.A. (Maesa), no bairro Exposição. O ato ocorrido no domingo buscou mobilizar os caxienses para que apoiem uma ocupação de caráter cultural do prédio, que é tombado como patrimônio histórico do município. O imóvel, de 1948, foi construído com tijolos à vista no quarteirão das ruas Plácido de Castro, Dom José Barea, Treze de Maio e Pedro Tomasi.



Mesmo com a realização de reuniões e discussões para decidir a ocupação do Complexo da Maesa, ainda não há uma decisão sobre o que o espaço irá contemplar. O prédio de 53 mil metros quadrados foi doado pelo governo do Estado e segue praticamente vazio. A ideia, segundo um dos organizadores do evento, Carlinhos Santos, é retomar o debate entre poder público e comunidade, parado desde novembro do ano passado, quando houve a troca do titular da Secretaria Municipal da Cultura.

O secretário municipal de Cultura, Joelmir da Silva Neto, disse que a demora pelas definições ocorre porque somente na sexta-feira (18) foi concluída a nomeação dos membros da Comissão Especial para análise de uso do prédio da Maesa. Além disso, ele informou que dois projetos estão em análise. Um deles é da transferência da Secretaria Municipal de Segurança Pública para o local, o outro é da elaboração do edital para contratar estudo que irá detalhar a forma de ocupação do prédio. O secretário não deu prazo para que todo esse tramite aconteça. 

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895