Caxias do Sul inicia processo de regularização fundiária

Caxias do Sul inicia processo de regularização fundiária

Expectativa é que 518 famílias recebam, até o final do ano, o título de propriedade de seus imóveis

Celso Sgorla

Secretário do Urbanismo, João Uez, conversou com moradores do Loteamento Vitória sobre a nova legislação

publicidade

A partir desta segunda-feira, servidores de várias secretarias da Prefeitura de Caxias do Sul iniciam, de forma efetiva, o processo de regularização fundiária urbana, tendo por base lei de origem do Poder Executivo e aprovada pela Câmara de Vereadores.

Este grupo, que atuará na Secretaria do Urbanismo, terá a tarefa de analisar os processos para regularização fundiária, dando mais celeridade aos encaminhamentos e evitando as movimentações dentre as diferentes pastas, comum até então. Isto será possível pela desburocratização dos procedimentos de regularização, exigindo apenas o essencial para processo e decisão. A lei complementar que institui o programa “Esse Terreno é Meu”, integra o plano de metas da atual administração, apresentado na campanha eleitoral.

Neste sábado, o secretário do Urbanismo, João Uez, conversou com moradores do Loteamento Vitória sobre a nova legislação de regularização fundiária do município. O núcleo habitacional será o primeiro contemplado pelo programa. A expectativa é que 518 famílias recebam, até o final do ano, o título de propriedade de seus imóveis.

No próximo sábado, das 8h30 às 15h, equipes da Secretaria do Urbanismo (SMU) estarão no local para fazer o cadastramento da parte oeste do loteamento. Em virtude do número de famílias, e para não gerar aglomerações, o cadastramento será feito em cinco etapas. Em caso de dúvidas, os moradores podem ligar para o telefone (54) 3218-6135. Conforme informações da prefeitura, cerca de 600 áreas do município estão irregulares, representando de 80 mil a 100 mil terrenos nesta situação.

Segundo o prefeito Adiló Didomenico, por muitos anos o município andou em círculos na tentativa de encontrar uma saída, que sempre esbarrava em algum aspecto legal. Disse também que na construção do plano de governo muitas pessoas citaram a regularização como questão central a ser resolvida. “Estamos culminando um trabalho de décadas a partir da união de esforços da prefeitura, do Legislativo, Judiciário e demais agentes que atuam no setor imobiliário. Construímos uma lei que oferecerá dignidade a mais de 80 mil famílias”, reforçou.

Adiló ainda assegurou que, em 2022, o Executivo reforçará as equipes que atuarão na regularização, situação inviabilizada neste ano em função de lei federal, que proíbe novas contratações.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895