Famílias recorrem para permanência em área de São Borja

Famílias recorrem para permanência em área de São Borja

Conforme o advogado da causa, entre os moradores há crianças, gestantes e uma paciente com Covid-19

Fred Marcovici

publicidade

A 1ª Vara Cível de São Borja concedeu ao município liminar de reintegração de posse da área da vila Leonel Brizola, com prazo para os moradores deixarem a área até esta sexta-feira. Segundo o advogado Christopher Belchior Goulart, os dez representados por ele e pelo colega José Osório ingressaram com agravo de instrumento para assegurar as famílias a permanência no local até que haja uma solução. A decisão atinge ao menos 14 pessoas. “Não há a menor urgência de retirar as pessoas daquele local. Não houve esbulho, e sim posse velha. As casas contam com numeração concedida pela própria prefeitura e contador de energia elétrica”, diz Goulart.

Segundo ele, entre os moradores, há crianças, gestantes e uma paciente com Covid-19. “Agora, resta aguardar a decisão judicial para saber-se os próximos passos.” 

O prefeito Eduardo Bonotto disse que é responsabilidade do município conter e reparar ocupações em toda área pública e que com a vila Brizola não seria diferente. Conforme ele, são nove famílias em terreno que integra os projetos de incremento da matriz econômica na promoção de emprego e renda. No entorno, próximo à Ponte Internacional, está sendo instalado um grupo de postos de combustível, que vai proporcionar 100 empregos diretos, além dos sistemistas.

Bonotto destaca que a Secretaria de Desenvolvimento Social fará análise socioeconômica dos moradores para construção de conjunto habitacional que possa amparar estes e outros núcleos familiares.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895