Municípios do Vale do Rio Pardo adotam mais restrições

Municípios do Vale do Rio Pardo adotam mais restrições

Prefeituras de Santa Cruz do Sul e Vera Cruz definiram medidas de lockdown das 20h desta sexta-feira às 5h de segunda

Otto Tesche

publicidade

Depois de Venâncio Aires e Boqueirão do Leão determinarem o lockdown neste fim de semana em consequência do elevado número de casos de Covid-19, mais dois municípios do Vale do Rio Pardo decidiram adotar a medida nesta sexta-feira. A prefeita de Santa Cruz do Sul, Helena Hermany, apresentou o decreto no fim da tarde, com as regras das 20h desta sexta às 5h de segunda. Em Vera Cruz, a vigência ocorre no mesmo período. O prefeito Gilson Becker confirmou a decisão após a reunião do Comitê de Enfretamento à Covid-19, para debater as definições do Estado quanto à suspensão da cogestão nos municípios. 

No período em Santa Cruz do Sul, haverá restrição na circulação das pessoas. “Ouvindo os profissionais de saúde na linha de frente, analisando os dados científicos, nós precisamos tomar uma medida mais dura. É urgente e necessário reduzir o nível de circulação das pessoas”, afirmou a prefeita. Ela ressaltou que o momento é muito grave e que a região dos Vales tem a maior demanda por leitos de UTI e por respiradores em todo o Estado. Apesar da ampliação dos locais e horários de atendimento de pacientes com sintomas respiratórios e de novos leitos nos hospitais Santa Cruz e Ana Nery, além da retomada da vacinação, a situação ainda é severamente crítica. 

A CDL Santa Cruz do Sul emitiu nota na qual lamenta o fim da cogestão e a adoção das regras de bandeira preta de sábado até 7 de março, anunciados pelo governador Eduardo Leite na quinta-feira. Segundo o comunicado, assinado pelo presidente Ricardo Fernando Bartz, a entidade tentará sensibilizar as autoridades para a reabertura do comércio o mais rápido possível. “A CDL Santa Cruz do Sul reconhece a grave situação da saúde do Vale do Rio Pardo, que derrubou a cogestão e inclui a região em bandeira preta no distanciamento controlado em função da Covid-19. É preciso colaborar com as autoridades da saúde, mas também lembramos que os lojistas estão realizando esforços para cumprir todos os protocolos preventivos exigidos pelo poder público”, observa o presidente.  

No período do lockdown em Vera Cruz, há a suspensão de atividades gerais no município. Com isso, apenas serviços essenciais podem funcionar com redução das equipes de acordo com a bandeira preta. Os setores da área da saúde, segurança, ordem pública e de fiscalização são as únicas que podem seguir atuando com 100% das equipes. Demais serviços essenciais atuam com no máximo 25% dos trabalhadores presencialmente. No caso de mercados, farmácias e postos de combustíveis, o atendimento presencial ao público deve ser restrito, de acordo com a capacidade do estabelecimento. Restaurantes, padarias e lancherias devem atuar com tele entrega ou pague e leve.  

Em relação à educação, o município de Vera Cruz decidiu pela suspensão das aulas presenciais na próxima semana, entre 1º e 5 de março, tanto na rede pública quanto na privada. Conforme a secretária Micheli Katiani Rech, também não haverá entrega de atividades pedagógicas não presenciais nas escolas municipais. A situação deve ser reavaliada novamente na próxima semana.  

Para o prefeito Gilson Becker, o mais importante é a conscientização e a adesão da comunidade vera-cruzense. “Estamos passando por um momento crítico, com a superlotação das UTIs na região, e essa situação pode se agravar ainda mais se a população não fizer a sua parte. Somente com a união de esforços, vamos conseguir superar essa fase”, conclama o prefeito. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895