Municípios do Vale do Rio Pardo debatem ações contra a Covid-19

Municípios do Vale do Rio Pardo debatem ações contra a Covid-19

Prefeitos definiram inicialmente medidas brandas de restrição, após alerta do Estado

Otto Tesche

publicidade

Os integrantes do Comitê Técnico Regional (CTR) da Associação dos Municípios do Vale do Rio Pardo (Amvarp) participaram de duas reuniões virtuais nesta segunda-feira, para discutir as ações da região no enfrentamento da pandemia da Covid-19. A primeira foi com os responsáveis pelos comitês de cada uma das 13 cidades que compõem a Região 28. O encontro serviu para a análise das 13 medidas sugeridas pelo CTR para combater o avanço da doença.  

O Comitê também explicou a metodologia de trabalho e articulação com as prefeituras: os COEs municipais devem emitir um parecer técnico nas quintas-feiras, com discussão envolvendo todas as partes nas sextas pela manhã. Diante da gravidade da situação ou de um novo Alerta do Estado, mais encontros podem ocorrer. 

Na parte da tarde desta segunda-feira, o grupo do CTR da Amvarp teve uma reunião com o técnico integrante do Gabinete de Crise do governo estadual, Felipe Belle. Houve uma análise do Plano de Ação apresentado pela região após o alerta na semana passada. O Estado deve enviar um parecer até o final da tarde de quarta-feira. Aprovadas pelos prefeitos na última sexta-feira, as medidas já estão em vigor. 

O CTR incluiu restrições consideradas brandas, principalmente nos protocolos de teto de ocupação e horário de funcionamento dos estabelecimentos. A proposta principal do plano são ações concretas de políticas públicas que precisam ser implementadas e melhoradas na região, e não o fechamento do comércio e da indústria. As sugestões de restrições vão desde o escalonamento de funcionários, teletrabalho para setor público e empresas, menor circulação de pessoas, até a limitação na ocupação dos estabelecimentos e do transporte público e coletivo. O Comitê ainda solicitou aos prefeitos uma ação efetiva de fiscalização para combater aglomerações. 

O plano de ação prevê duas fases: a primeira compreende em estabilizar em até 15 dias a evolução dos indicadores da pandemia, e a segunda em reduzir os índices após o mesmo período. Entre as doze iniciativas, o médico infectologista e assessor técnico da Amvarp, Marcelo Carneiro, destaca a necessidade de avançar na vacinação e a política de testes e rastreamento de contatos. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895