Oficina vai ensinar moradores de São Leopoldo a identificarem as PANC's
capa

Oficina vai ensinar moradores de São Leopoldo a identificarem as PANC's

Atividade, ainda sem data, irá ocorrer em trilha no Parque Imperatriz

Por
Stephany Sander

Atividade quer ensinar a identificar e consumir de maneira correta as PANC's (Plantas Alimentícias Não Convencionais)

publicidade

Moradores de São Leopoldo poderão aprender a identificar e a consumir de maneira correta, PANC's - Plantas Alimentícias Não Convencionais. A ação vai ocorrer através de uma trilha pelo Parque Imperatriz, que concentra mais de 30 espécies. A ação, ainda sem data definida, deve ocorrer em um sábado do mês de setembro e será aberta a toda a população. Quem está organizando a atividade é a chefe do Centro Permanente de Educação Ambiental, Yara Stockmanns, que está realizando o levantamento das plantas no local e que agora serão mostradas a população.

“Ninguém precisa passar fome. Basta olhar para o chão. O alimento pode estar no jardim de casa. O que muitos consideram ervas daninhas, na verdade são plantas nutritivas e, que por serem nativas, não necessitam de agrotóxicos”, explica ela, salientando que não é recomendado o consumo de plantas que brotam em locais com muita poluição. "O interessante é aprender a reconhecer a planta, cultivá-la em casa e saber a forma segura de consumir, pois as Pancs já estão nos terrenos e jardins, elas se cultivam de maneira totalmente independente", complementa Yara.

Entre as espécies já foram identificadas no Parque Imperatriz estão a Aroeira Pimenteira, cujos frutos são conhecidos pimenta rosa, Tansagem, Trapoeraba, Beldroegão, Ora pro Nóbis, cactácea que apresenta folhas comestíveis e é rica em proteína, Dente de Leão, Picão Branco, Bardana, Taioba, que pode ser consumida refogada como a couve, a Língua de vaca e a Caruru. O nome Plantas Alimentícias Não Convencionais foi criado pelo biólogo Valdely Kinupp para se referir a plantas comestíveis nascem em quintais, terrenos baldios e canteiros, mas que não são consumidas habitualmente. Atualmente estão catalogados cerca de 5 mil alimentos deste tipo no Brasil.